Surpreendente! - Maurício Gomyde

Sinopse: Pedro Diniz tem um desafio e um problema pela frente.
O desafio: filmar um roteiro magnífico capaz de surpreender o público e conquistar o prêmio mais importante do cinema brasileiro.
O problema: não ter a menor ideia de como fazer isso.
Aos 25 anos, recém-formado, Pedro está convencido de que é um sujeito muito especial, que tem a missão de usar o cinema como instrumento para melhorar o mundo. Diagnosticado na adolescência com uma doença degenerativa que o condenaria à cegueira, ele contraria a lógica da medicina quando a perda de sua visão estaciona de forma inexplicável. Enquanto comanda o último cineclube de São Paulo e trabalha em uma videolocadora na periferia, Pedro planeja seu próximo filme - a obra que vai consagrá-lo. E, para animar as coisas, conhece a intrigante Cristal, uma ruivinha decidida, garçonete e estudante de física nuclear, que mexe com seu coração.
A perspectiva idealista de Pedro, porém, sofre sérios abalos. Atormentado por um segredo, ele parte com os amigos Fit, Mayla e Cristal numa longa viagem até Pirenópolis, em Goiás, a bordo de um Opala envenenado. Com câmeras nas mãos e espírito de aventura, a equipe técnica improvisada está disposta a usar toda a sua criatividade na filmagem, feita na estrada ao sabor de encontros inesperados e de sentimentos imprevisíveis. E o jovem cineasta descobre que, quando o destino foge do script, nada supera o apoio de grandes amigos. (Skoob)
GOMYDE, Maurício. Surpreendente! Rio de Janeiro: Intrínseca, 2015.

Para entender Surpreendente!, pense em um filme que te deixou feliz. Aquele que você não sabe dizer porque gosta tanto, mas que deixou seu coração transbordando de amor. Aquele, que pode até parecer bobo aos olhos de outra pessoa, mas que tocou seu coração e te fez suspirar e pensar em como a vida pode ser boa. Aquele que, mesmo que você saiba que nunca poderia acontecer na realidade, ainda assim te enche de esperança.

Cinema felicidade: é assim que Pedro Diniz classifica os filmes que se enquadram na descrição acima. E se Surpreendente!, de Maurício Gomyde, fosse um filme, acredito que se encaixaria facilmente nessa categoria.

"- E seu filme é sobre o quê?
- Sinceramente? - Pedro deu um demorado gole no chope. Cristal balançou a cabeça. Ele suspirou e soltou:
- Não faço a menor ideia..."

Há algum tempo, tive oportunidade de ler outro livro de Maurício. Na época, achei sua obra precipuamente despretensiosa, muito embora a tenha descrito como um texto que "preza pela ausência de complexidade". Nesta leitura, tive a mesma impressão, já que é nítido que o autor não tem a intenção de criar um livro cheio de reviravoltas mirabolantes e sentimentos conflituosos.

Há, sim, altos e baixos relevantes à história do personagem principal. Não se trata de uma leitura morna, devo dizer. Só que esse não é o ponto alto do livro, e sim o toque sonhador inserido em cada gesto do protagonista, a força dos seus relacionamentos, a vontade e genuinidade de buscar aquilo que acredita. Especialmente porque, mesmo quando tudo parecia já estar perdido para Pedro, quando ele se sentia sem fé, ele mostrou, de outras formas, que sempre há esperança.

"O Opala roncou cidade adentro e assim partia, rumo ao interior do Brasil, a equipe de cineastas mais improvável da história. Na bagagem, nada além de um pequeno equipamento, algumas ideias na cabeça, e a vontade de cada um dos três amigos de registrar a viagem de sua vida. Pedro não sabia se as respostas para o que o destino havia lhe apontado cruzariam seu caminho, mas tinha certeza de que precisava seguir em frente. [...]"

Maurício Gomyde se destaca pela leveza de sua escrita, pelas nuances de conto de fadas que insere em suas obras. O livro é cheio de clichês e pode até ser que o enredo não seja lá muito surpreendente de verdade, mas não precisa disso para ser especial. Ele encanta pela simplicidade, pela amizade, pelos simples momentos em que a vida mostra como é especial só pelo fato de ser vida.

Comecei a leitura sem grandes expectativas e fui presenteada com sorrisos bobos no rosto e com lágrimas nos olhos. E claro, também ganhei de brinde a edição incrível do livro. Por isso tudo, Surpreendente! pode não ser uma obra grandiosa, mas é uma bela obra, como o cinema felicidade.














Leia Mais
18 comentários
Compartilhe:

Promoção: Aniversário Interesses Sutis


Olá, queridos leitores! Hoje o Interesses Sutis completa 2 anos de existência, e como já é de praxe, para comemorar essa data especial quem ganha é você, leitor. Para isso, os blogs Confraria CulturalReality of BooksO Diário do LeitorMinhas EscriturasMeu Vício em LivrosSeguindo O Coelho BrancoCidade dos LeitoresAmores e LivrosConjunto da ObraLost Girly GirlLivros e FloresGarotinha AdolescenteRevelando SentimentosSome Fantastic BooksLua LiteráriaThe Queen's CastleRelicárioDesbravadores de LivrosMeu amor pelos livrosEscritos e EstóriasLiteraleituraDicas de livrosThe book is on the tableSir James MatthewDa imaginação a escritaUm livro e nada mais se juntaram ao Interesses Sutis para fazer 10 kits com livros e/ou marcadores! Não deixe de participar.


Regras:
- A promoção estará no ar de 28/01 a 28/02;
- A promoção é válida somente para quem tem endereço de entrega no Brasil;
- Os livros serão enviados aos ganhadores em um prazo de 30 dias úteis após o recebimento dos dados do ganhador.
- Cada blog será responsável pelo envio do livro que cedeu, por isso os livros chegarão separadamente, em datas distintas;
- Os blogs participantes da promoção não se responsabilizam por extravio ou atraso na entrega dos Correios. Assim como não se responsabilizam por entrega não efetuada por motivos de endereço incorreto, fornecido pelo próprio ganhador e os livros não serão enviados novamente;
- O ganhador receberá um e-mail informando que ganhou, após 3 dias, pois precisamos de tempo para ver se o ganhador realmente cumpriu as entradas obrigatórias.- Após receber o e-mail, o ganhador terá o prazo de 3 dias para responder ao e-mail que lhe será enviado;
- Se após o prazo não houver retorno do ganhador, um novo sorteio será realizado para substituir aquele que não responder ao e-mail;
- São 10 kits e 10 ganhadores.

Observações importantes sobre os formulários:
- Os formulários possuem entradas obrigatórias e opcionais. As opcionais, por sua vez, valem ainda mais pontos e lhe darão ainda mais chances de ganhar. (Para liberar as opcionais, é necessário cumprir as obrigatórias).
- Sobre a ação que te pede para visitar uma página no Facebook: na verdade, você deve curtir a página e não somente visitá-la.
- NÃO ESQUEÇA de colocar o seu NOME DE SEGUIDOR em todas as entradas que pedem para seguir um blog pelo GFC.
- Os marcadores nas imagens dos kits são meramente ilustrativos, pois eu precisava colocar uma imagem de marcadores.
- Em caso de dúvidas e/ou problemas, entre em contato comigo pelo e-mail: interesses.sutis@gmail.com

a Rafflecopter giveaway

a Rafflecopter giveaway

a Rafflecopter giveaway

a Rafflecopter giveaway

a Rafflecopter giveaway

a Rafflecopter giveaway

a Rafflecopter giveaway

a Rafflecopter giveaway

a Rafflecopter giveaway

a Rafflecopter giveaway

Não esqueça, caso tenha alguma dúvida e/ou problema com o sorteio, entre em contato pelo e-mail interesses.sutis@gmail.com

Leia Mais
14 comentários
Compartilhe:

Conjuntando #53: A vida em um lugar fictício

Recentemente eu entrei em um grande bloqueio criativo, e estava realmente difícil pensar no que postar. Geralmente esses bloqueios me atingem em cheio nas férias, pois a falsa sensação de ter tempo de sobra para fazer tudo o que eu quero me faz programar um monte de coisas que, no fim das contas, ocupam mais meu dia do que trabalho e estudos. A consequência é que eu não consigo parar para pensar em algo novo, às vezes não consigo nem mesmo escrever resenhas, mesmo que eu leia muito mais livros do que o normal.

Para resolver a situação, fui buscar inspiração em grupos de blogueiros no Facebook. Isso realmente ajuda, já que em alguns há ideias para blogagens coletivas e coisas assim. E um tema específico me chamou a atenção: como seria viver no seu lugar fictício favorito?


Como seria viver em Hogwarts? Rodeada de bruxos, com todos aqueles feitiços, e outras criaturas fascinantes que existem por lá. Mas eu seria uma trouxa? Ou teria recebido minha cartinha também?

E em Nárnia? Onde poderia encontrar aquele guarda-roupas?


Se bem que acho que gostaria bastante da loucura e das aventuras do País das Maravilhas. Nada segue as mesmas regras daqui, e eu gosto de coisas que fogem do tradicional. Só não sei se conseguiria sobreviver a isso... rsrs

E se eu procurasse um lugar mais tranquilo, como Genovia, a terra da Princesa Mia? Ou se pudesse visitar Zyrk, uma outra dimensão criada por FML Pepper?

Lugares fictícios incríveis existem aos montes. Tantos, que fica difícil citá-los. Quem dera escolher apenas um onde pudesse viver; eu gostaria de viver em todos, mesmo naqueles mais sombrios, como as arenas de Jogos Vorazes.

No fim das contas, eu vivo em todos esses lugares, e em muitos outros mais, sem sair do conforto da minha casa. É a magia da leitura, que nos transporta para qualquer lugar, e não há nada que possa nos impedir.

E você, tem um lugar fictício favorito?

Leia Mais
17 comentários
Compartilhe:

Minha vida mora ao lado - Huntley Fitzpatrick

Sinopse: Os Garrett são tudo que os Reed não são. Barulhentos, caóticos e afetuosos. São de verdade. E, todos os dias, de seu cantinho no telhado, Samantha sonha ser uma deles, ser da família. Até que, numa noite de verão, Jase Garrett vai até lá e... Quanto mais os adolescentes se aproximam, mais real esse amor genuíno vai se tornando. Contudo, precisam aprender a lidar com as estranhezas e maravilhas do primeiro amor. A família de Jase acolhe Samantha, apesar dela ter que esconder o namorado da própria mãe. Até que algo terrível acontece, o mundo de Samantha desmorona e ela é repentinamente forçada a tomar uma decisão quase impossível, porém definitiva. A qual família recorrer? Ou, quem sabe, Sam já é madura o bastante para assumir suas próprias escolhas? Será que está pronta para abraçar a vida e encarar desafios? Quem você estaria disposto a sacrificar pela coisa certa a se fazer? O que você estaria disposto a sacrificar pela verdade? (Skoob)
FITZPATRICK, Huntley. Minha vida mora ao lado. Editora Valentina, 2015. 320 p.

Não tinha intenções de ler um romance pelos próximos meses, mas o título de Minha vida mora ao lado me chamou a atenção por sua intensidade. Isso porque é difícil você encontrar um sentimento tão forte em alguém que justifique chamar de sua vida. Hoje em dia, as palavras perderam um pouco a força, pelo uso constante e sem significado. Basta você sair uma vez com uma garota(o) para ouvir, ou dizer, eu amo você. Amor é algo profundo, que não pode ser dito de forma leviana. Pelo menos para mim.

O que encontrei na história de Samantha e Jase, embora narrado de forma tímida, principalmente nas partes mais sensuais, chega perto dessa minha definição.

Sam é filha de uma mãe solteira, que está iniciando sua subida na vida política. O relacionamento das duas é distante, ditado por regras rígidas e sob o efeito de falsidade que a profissão da mãe exige. Para piorar, a mãe de Sam começou um romance com um homem mais jovem, mas bem mais cínico e ambicioso que ela, que não mede atitudes para atingir seus objetivos.

Jase é filho do dono de uma loja de ferragens e madeira, e um dos muitos integrantes de uma família grande, barulhenta, bagunceira, mas fundada na educação e no amor. Ele é vizinho de Sam desde criança, mas nunca se falaram. Isso, porque a mãe de Sam não suporta a família dele, exatamente por representar toda a desordem que ela odeia.

Embora não possa participar da vida dos vizinhos, Sam sempre subiu no telhado de sua casa à noite para observar a vida deles. Isso, até o dia em que, acidentalmente, se vê frente a frente com Jase, um dos filhos mais novos. A química entre os dois é instantânea, e os diálogos que se seguem, convencem pela naturalidade que a vida de cada um deles permite.

"Jase estuda meu rosto, depois pega minha mão e me puxa. Ele me abraça cuidadosamente, fazendo com que minha cabeça repouse no seu braço e a sua cabeça deite no meu ombro. Seus dedos passam lentamente pelos meus cabelos. O paradoxo é que, apesar de eu estar, ao mesmo tempo, consciente do calor do seu peito nas minhas costas e dos músculos sob o short que cobrem as pernas entrelaçadas às minhas, me sinto tão segura e confortável que caio quase imediatamente no sono."

O que salva o livro da mesmice, é exatamente o acerto na linha que une os dois jovens de mundos tão diferentes. Mas, infelizmente, ele fica nessa linha por mais de metade da história, deixando o leitor com a sensação de que nada irá acontecer.

Além dessa perspectiva errada que o livro transmite até pouco depois de sua metade, também existe a presença constante de Tim, o irmão da melhor amiga de Sam. Ele é um personagem irritante, antipático, quase insuportável, que desagrada em todas as aparições. A ponto de eu me perguntar qual o motivo de sua existência, uma vez que ele não contribui para nada na evolução da história, a não ser aborrecer o leitor.

Como disse, tudo muda depois da metade do livro. A história engrena e a autora consegue transformar Sam e Jase em um casal que convence pela segurança do que sentem um pelo outro. É visível o amadurecimento de Sam e a sua difícil independência da mãe, transformando-a de uma adolescente, numa mulher. E mais surpreendente: a autora consegue transformar Tim, o antipático, em um personagem que finalmente diz para o que veio, tem uma importância fundamental na felicidade de Sam e Jase e acaba sendo o melhor achado do livro.

"Nos filmes, as roupas simplesmente somem quando os casais estão prestes a fazer amor. A iluminação dá às silhuetas uma aura dourada e a música vai às alturas. Na vida real, não é assim. Jase tem que tirar a camiseta e demora a conseguir soltar o cinto, e eu pulo pelo quarto para tirar as meias, pensando em como aquilo é pouco sexy. As pessoas nos filmes nem têm meias. Quando Jase tira a calça, as moedas que estavam no bolso caem, fazendo barulho e rolando pelo chão."

Isso é notável para uma autora iniciante que, no clímax de sua história, consegue apagar totalmente as más impressões anteriores e deixa um quero mais na mente do leitor. Com isso, não me arrependo de ter voltado atrás e lido mais um romance. Mais um, não. O romance de Sam e Jase, com uma belíssima participação de Tim. ;)

Leia Mais
20 comentários
Compartilhe:

Conjunto de Séries #8: The Flash


Depois que assinei Netflix, entendi porque as pessoas que gostam de séries assistem tantas e, às vezes, várias ao mesmo tempo. Eu trabalho, faço faculdade, tenho um tcc para escrever, e olha eu aqui, esperando qualquer tempinho sobrar para assistir só um episódio. E aí, quando eu assisto todos os episódios disponíveis, vejam só!, escolho outra série para começar. Pode isso? rsrs

Fiquei órfã de novos episódios de The Blacklist e Arrow, então na hora de escolher outra série para assistir, decidi por The Flash, que teve várias participações em Arrow.


A propostas das duas séries são bem diferentes, apesar dos constantes crossovers e de ambos serem inspirados nos heróis em quadrinhos da DC Comics. Por isso, o fato de gostar de uma, não necessariamente implica em gostar da outra.

Em The Flash há certa fascinação pelos superpoderes criados pelo acelerador de partículas. Mesmo nas situações mais difíceis de resolver, há um humor e um tom de brincadeira, como se nada daquilo fosse sério o bastante. Claro que algumas situações não são fáceis e requerem um pouco de seriedade, mas não existe muito espaço para dramas pesados na série. Os episódios são, por isso, mais divertidos do que tensos, com destaque para Cisco Ramon, responsável pela maior parte das tiradas cômicas nos episódios.


A primeira temporada, única disponível na Netflix no momento, tem maior enfoque no surgimento do Flash e no aprendizado de Barry Allen para dominar os poderes e tirar supervilões das ruas. Também tem espaço para romance, é claro.

Pelo que tenho lido em blogs e sites, porém, a segunda temporada, que já está em andamento nos EUA, tenta aproximar a série de TV dos quadrinhos, e trará vilões da Terra 2 e coisas assim. Tendo em vista que eu nunca li os quadrinhos, não consegui distinguir a diferença entre a proposta original e a ilustrada na série enquanto assistia, então nenhum elemento me fez falta de verdade.

Gostei bastante de The Flash e pretendo continuar a acompanhar a série. Quem gosta de histórias nesse estilo, vale a pena conferir.

Leia Mais
17 comentários
Compartilhe:

Esta é uma história de amor - Jessica Thompson

Sinopse: Um rapaz conhece uma menina e a menina se apaixona pelo rapaz – até aí, nenhuma novidade.
Mas, com Sienna e Nick, as coisas não acontecem do jeito que costumam acontecer nas histórias de amor. Tudo bem que ela o achou superparecido com o Jake Gyllenhaal, seu ator preferido. E ele teve o maior frio na barriga quando viu aqueles lindos olhos azuis-escuros no metrô. Nada disso importa quando a gente está fechado para balanço.
Ela é frágil... Tem tantos segredos. E ele não está a fim de nada sério.
Engraçada e ao mesmo tempo triste, esta é a história de duas pessoas destinadas a não ficarem juntas... mesmo sendo a coisa que elas mais querem no mundo. (Skoob)
THOMPSON, Jessica. Esta é uma história de amor. Novo Conceito, 2014. 400 p.

Em 2015, fiz uma lista com os 10 livros que gostaria de ler sem falta naquele ano. Daqueles 10, consegui ler 6. Os 4 restantes, apesar de não ter conseguido ler, continuam a ser livros que espero ler em breve e, em razão disso, decidi começar 2016 com um deles: Esta é uma História de Amor, de Jessica Thompson.

Ainda que o título justifique que se trata de uma história de amor, o livro narra, na verdade, os desencontros entre Nick e Sienna. Os protagonistas se apaixonam logo que se conhecem, mas como a sinopse do livro bem diz, eles estão destinados a não ficarem juntos. Em lugar disso, contentam-se com a amizade um do outro, e criam uma relação verdadeira como poucos são capazes de ter.

"Sou uma romântica irremediável. Adoro a ideia de colisões aleatórias de corações. Anseio por encontros extravagantes, e não pelo modo como as mulheres convencionais são cantadas em bares e arrastadas para uma noite de amassos bêbados com um homem que elas mal conhecem. 'Nós nos conhecemos por meio de amigos em comum num jantar' é calamitoso. Se você está muito entediada, pode sacar a história do 'nos conhecemos no trabalho'.
Bocejo.
Há uma pequena Julieta dentro de mim, esperançosa por encontrar o olhar do meu Romeu do outro lado de um tanque de peixes ou por entre o vão de uma estante de biblioteca. Ora, mesmo se fosse por entre a seção de temperos de um supermercado, eu juro que não ligaria."

Os capítulos intercalam a narração, sempre em primeira pessoa, pelos pontos de vista de Sienna e Nick, e saber como os dois se sentem, vê-los tão próximos e ao mesmo tempo tão distantes, é frustrante em alguns momentos. Se apenas um deles desse o primeiro passo, as barreiras desmoronariam. Mas isso não acontece e, com o tempo, tudo fica ainda mais difícil.

Por outro lado, esse "não vai" dos protagonistas não consegue irritar, pois enquanto a história principal não se desenrola, outros núcleos são bem explorados pela autora, tanto que meus personagens favoritos na obra não são os protagonistas. Peter, por exemplo, morador de rua, mexeu bastante comigo, especialmente por toda sua história de vida e tudo o que tinha a ensinar. Também George, o pai de Sienna, era encantador, pois mesmo com todos os problemas que tinha, nunca deixou de sonhar ou sentiu raiva do mundo, e transbordava de amor e doçura.

Por tudo isso, Esta é uma história de amor não é apenas uma história de amor, e tem seus grandes momentos, ainda que sua proposta não seja a de um romance de renome. Ao abordar problemas sociais bem conhecidos - e um assunto não tão conhecido assim -, a autora deu maior profundidade ao seu romance leve e discutiu implicações que são, muitas vezes, tabu.

De certa maneira, o livro me surpreendeu, já que ao mesmo tempo em que é leve e divertido, conseguiu mexer com minhas emoções e minha consciência. Fiquei encantada pela história, e espero que quem tiver oportunidade de ler este livro goste tanto quanto eu.


Leia Mais
20 comentários
Compartilhe:

Promoção: Aniversário Obsession Valley


E as promoções não acabaram por aqui!

No dia 15 de Fevereiro de 2011, ia ao ar o primeiro post do Obsession. De lá para cá, ele mudou muito, creio que para melhor se moldando de acordo com seu tempo e conteúdo. E, em partes, o Obsession nada seria se não fosse os leitores, que o acompanham nesses cinco anos. Nossa, migo cê já está quase um idoso!

Para comemorar a data, o blog está organizando sua primeira promoção, com outros blogs amigos que de alguma forma fazem parte dessa jornada. São 12 blogs que cederam lindos prêmios para presentear os leitores do Obsession Valley.

REGRAS:
- O participante deverá residir ou ter endereço de entrega no Brasil;
- Período de inscrição: 18 de janeiro de 2016 até 15 de fevereiro de 2016;
- Resultado será liberado em até sete dias, depois de conferir se os ganhadores cumpriram as regras;
- Os ganhadores terão o prazo de 48 horas para responder o blog, após o contato. [via e-mail] Caso não haja retorno, um novo sorteio, para o colocado, será feito;
- Serão CINCO ganhadores: O primeiro colocado poderá escolher um kit entre os cinco. O segundo entre os quatro restantes e assim sucessivamente. O quinto ganhador, claro, ficará com o que sobrou;
- Cada blog tem o prazo de 60 dias úteis para enviar os prêmios cedidos, após o recebimento dos dados dos ganhadores;
- Os livros chegarão separados, pois, o envio será de responsabilidade dos blogs que os cederam;
- Os blogs participantes não se responsabilizam por problemas usuais dos Correios, como extravios, danos ou atraso na entrega ou por erros do ganhador, como endereço errado. Os livros serão enviados apenas uma vez;
- O blog Obsession Valley pede aos ganhadores que enviem uma foto dos prêmios, para ser compartilhada nas redes.

* Onde está escrito 'Visit on Facebook:' O participante deverá curtir a página solicitada.

BLOGS PARTICIPANTES:
Conjunto da Obra - Sedução no Convento
Minha Vida Literária: A Escolha do Coração
Meu Outro Lado: Um Caso Perdido
Winter Bird: As Gêmeas
Leituras & Fofuras: Doce Perdão
Macchiato: Bela Maldade
Prefácio: O Duque e Eu
Quase de Manhã: Amor ao Pé da Letra e Blackbird
Cantar em Verso: O Álbum
Obsession Valley: Destrua Este Diário e O Teorema Katherine.


Kit 1: + *O blog Meu Outro Lado também enviará marcadores.
+ E-book de Garotas em Ação e o Sobrenatural e Não Tão de Fadas.

Kit 2: + E-book de Garotas em Ação e o Sobrenatural e Não Tão de Fadas.

Kit 3: *O blog Macchiato também enviará marcadores.
+ E-book de Garotas em Ação e o Sobrenatural e Não Tão de Fadas.

Kit 4: + E-book de Garotas em Ação e o Sobrenatural e Não Tão de Fadas.

Kit 5: + Marcadores cedidos por Nana, Leticia, Layla e Victoria.
+ Os marcadores da Layla são artesanais.
+ E-book de Garotas em Ação e o Sobrenatural e Não Tão de Fadas.

* O blog Quase de Manhã cedeu dois livros para a promoção.


Leia Mais
30 comentários
Compartilhe:

Segundo a lei da arma - José Casado Alberto

Sinopse: O Corvo sobrevoava o deserto do Novo México. Atraído pelo chamamento do sangue, chegou a uma solitária montanha pintada em tons alaranjados. Abaixo, três figuras: um fora da lei, um ranger e um caçador de recompensas— três representantes do melhor e do pior que a espécie humana tem para oferecer— dançavam uma dança tão antiga como a própria existência: a dança da morte. Texas Red. Filho perdido do povo Navajo e criminoso sanguinário, produto das tragédias que assolaram o seu povo. Olhos-Azuis. Personificação estóica do velho oeste e da ideia de que as leis apenas existem porque homens poderosos asseguram a sua existência. Forasteiro de Negro. Sádico e desprovido de quaisquer escrúpulos. Ele cospe na face das leis da sociedade e obedece apenas ao seu depravado e rígido código moral. No final do dia, estes três homens demonstrarão que quando o homem despe as ilusões efémeras da sociedade apenas uma lei sobrevive— A Lei da Arma. (Skoob)
ALBERTO, José Casado. Segundo a lei da arma. Chiado Editora, 2015. 206 p.

Na minha forma de pensar, quando se gosta de escrever, quando se ama escrever, o principal é escrever para você mesmo. Isso quer dizer, sentir prazer com a história que está contando e deixar em segundo lugar o que o leitor gostaria de ler. Isso é ser egoísta? Não! Porque nenhum autor, inclusive os que pensam primeiro no leitor, irá conseguir agradar a todos. Não existe história que agrade a todos. Então, quando o autor se preocupa mais em criar algo para os outros lerem e deixa seu próprio prazer, seu desejo, em segundo lugar, ele está criando para quem, se ele não sabe quem irá gostar?

Existe outro fator que corrobora o que penso: quando o autor escreve primeiro para ele mesmo, ele está criando com total satisfação, ele está escrevendo o que ele gosta, da forma que ele gosta. No fim do trabalho, ele terá uma obra que o deixará plenamente satisfeito. De seu ponto de vista, uma obra perfeita. Da outra forma, a obra será perfeita para alguém, menos para ele.

Foi isso que encontrei em Segundo a lei da arma. Já vi muitos filmes de faroeste, já li gibis de faroeste, mas nunca havia lido um livro de faroeste. E duas coisas me surpreenderam nessa aventura. A primeira, é reconhecer a coragem do autor em apostar em um gênero literário inexistente no Brasil (essa afirmação é um pouco errada, mas explico mais para a frente). A segunda, é sentir como ele se divertiu ao escrever essa história. Por isso, fiz os dois parágrafos de introdução. José Casado Alberto não apenas escreveu algo fora do habitual, como fez isso tendo como prioridade o prazer em contar a história que ele queria contar, independente do público que iria recebê-la.

"Armado com o seu fiel revólver de longa data, marcado vinte vezes pelas vinte vezes que tinha sido usado para fins mortais, Red tomou a cabeça submergindo do ex-professor como alvo e engatilhou a arma com o polegar. 
- Mas, acima de tudo, faço-o porque não me conseguiste impedir. Aleluia!
Premiu o gatilho e apagou a pouco luta que ainda restava do velho reverendo, seu maior professor, herói santificado do culto da arma. O trovejar do revólver levou a multidão a um frenesim quase animalesco."

E ele conta essa história de forma criativa. Os acontecimentos são narrados por três personagens: o índio, o ranger e o pistoleiro. Três homens motivados em terminar sua missão, que, por conta do destino, se torna conflitante.

Texas Red, o índio, teve sua tribo devastada pelo exército americano. Sua família, ou o que sobrou dela, está sob o cárcere de um capitão corrupto. Sua chance de resgatá-la, é juntar uma quantia absurda de dinheiro para pagar pela liberdade deles. A forma que conseguiu para isso, é realizar roubos em diligências e bancos.

O ranger tem a missão de parar Texas Red.

O pistoleiro tem a missão de matar Texas Red.

O duelo está armado. A história começa sob o ponto de vista do índio, depois continua sob o ponto de vista do ranger e, finalmente, termina sob o ponto de vista do pistoleiro. Isso cria uma expectativa absurda, uma vez que conhecemos com detalhes a motivação de cada homem. E como cada um deles é mortal no que faz.

Não existe certo ou errado nessa história. O que existe, é a brutalidade em uma região sem lei, onde, sem trocadilho, o que manda é a arma que cada um carrega, e a rapidez com que ela é usada.

Lá em cima, citei que o gênero faroeste não existe no Brasil, e é correto, mas José Casado Alberto é português. Então, acredito que ele pensou primeiro no mercado de Portugal e não no do Brasil. De qualquer forma, não pense que terá dificuldade na leitura de Segundo a lei da arma. Praticamente não existem palavras ou termos desconhecidos, e a leitura é incrivelmente tranquila, rápida e prazerosa.

Nesse ponto, vale um parabéns à forma perfeita que o autor usa na gramática e ortografia. A escrita é irrepreensível, sem qualquer erro.

Infelizmente, preciso fazer uma ressalva: não gostei do final da história. Não propriamente pelo que acontece, mas pelo que não acontece. Faltaram páginas a serem escritas. Havia muito a ser dito, personagens secundários cujo destino ficamos sem conhecer, e isso deixou uma grande frustração. Queria, sinceramente, que Alberto tivesse escrito um pouco mais, continuado a história por mais alguns capítulos. Eu queria ler mais!

Bem, se serve de consolo, quando o leitor se sente frustrado por a história ser curta, quer dizer que o que leu é terrivelmente bom! ;)

Leia Mais
17 comentários
Compartilhe:

Promoção: Amamos Nacionais


O ganhador desta promoção irá se emocionar com a fuga de cinco jovens na tentativa de salvarem suas vidas (FUGITIVOS), compreender como funciona a cabeça dos homens (VERME! / ROYAL 47), lutar contra a dominação das máquinas (CONDÃO), torcer pelo amor de um triângulo amoroso (CORAÇÃO SEM FIM), rir com as brigas de um casal apaixonante (RETRATOS DE UMA VIDA), tentar descobrir o responsável por uma série de assassinatos (JOIA RARA), viajar entre o presente e o passado nos  delírios de um jovem (O COLECIONAR DE BORBOLETAS), se aventurar entre criaturas fantásticas e deuses poderosos (A PROFECIA DE SAMSARA), ajudar um delegado beberrão e mulherengo a solucionar um complicado crime (MORTE NA FLIP) e se assustar com as mortes em um vilarejo afastado (O VILAREJO). 

Pelo texto acima, dá para perceber que esta não é apenas uma promoção qualquer. Ela demonstra, através das obras em sorteio, o quão diversificados, competentes e criativos são nossos autores nacionais. 

Apesar de existir uma pequena corrente de descrédito na qualidade das histórias nacionais, baseada, principalmente, na insistência de nossas escolas em não enxergarem o amadurecimento dos jovens diante da leitura e fornecerem obras que não representam a vontade dos alunos, a grande maioria aprecia e lê com afinco.

E também é importante frisar que o preço elevado de nossas obras se deve, principalmente, ao mercado editorial, que imprime, na sua maioria, sob demanda, encarecendo a impressão em detrimento do risco de prejuízo por vendas fracas. Assim, inicia-se um ciclo vicioso: o leitor não compra, porque é caro; a editora encarece a obra, porque não vende.

Como solucionar? Com DIVULGAÇÃO

Assim, o GETTUB convidou 24 BLOGS amigos para fazerem a parte deles:


E os autores parceiros ofereceram 11 LIVROS NACIONAIS recheados de histórias inesquecíveis! 

REGRAS

1. Residir ou ter endereço de entrega em território nacional; 
2. O período de inscrição será do dia 18/01/2016 ao dia 20/02/2016
3. O GETTUB será responsável pelo envio de todos os livros. O prazo de envio é de 30 DIAS úteis, e o GETTUB não se responsabiliza por danos, extravios ou retornos das encomendas; 
4. Será apenas um vencedor a levar todos os livros; 
5. O resultado da promoção será divulgado em até 5 DIAS após o seu término;
6. O vencedor terá um prazo de 48 HORAS, após o resultado, para entrar em contato com o GETTUB. Caso contrário, o sorteio será refeito; 
7. O contato com o vencedor será feito apenas POR E-MAIL. Então, é muito importante que ele esteja correto ao preencher os formulários;
8. Este sorteio é de caráter recreativo/cultural, conforme item II do artigo 3º da Lei 5.768 de 20/12/71 e dispensa autorização do Ministério da Fazenda e da Justiça, não está vinculada à compra e/ou aquisição de produtos e serviços e a participação é gratuita;
9. O blog GETTUB se reserva o direito de dirimir questões não previstas nestas regras.

PRÊMIO

- FUGITIVOS, de Carlos Barros;
- VERME!, de Jim Carbonera;
- ROYAL 47, de Jim Carbonera;
- RETRATOS DE UMA VIDA, de Naty Rangel;
- O COLECIONADOR DE BORBOLETAS, de Cecília Mouta;
- JOIA RARA, de Luis Madureira;
- CORAÇÃO SEM FIM, de Larissa de Carvalho;
- CONDÃO, de Giordano Mochel;
- A PROFECIA DE SAMSARA, de Letícia Vilela;
- MORTE NA FLIP, de Paulo Levy;
- O VILAREJO, de Raphael Montes;
- MARCADORES e BOTONS.

Para participar necessário preencher o formulário abaixo. As entradas dos AUTORES são obrigatórias e valem 1 PONTO. As entradas dos BLOGS são OPCIONAIS, mas valem 5 PONTOS cada. Quantos mais pontos você somar, mais chances de ganhar.


Dúvidas quanto ao sorteio, deixe uma mensagem neste post.

BOA SORTE!

Leia Mais
14 comentários
Compartilhe:

Tag: Palavras Cruzadas


Há um bom tempo, a Ana, do blog Roendo Livros, indicou a Tag Palavras Cruzadas para que eu fizesse aqui no blog. Ela fez em vídeo, mas eu vou fazer apenas com imagens.

1. Vox Public: Um livro para recomendar para todo mundo:


Tenho muitos livros para indicar, como todo leitor, mas optei desta vez por Filme Noturno, de Marisha Pessl. O livro sai do comum e tira da zona de conforto, e por isso mesmo a leitura é uma delícia.

2. Maldito Plágio: Um livro que você gostaria de ter escrito:

Crédito da Imagem: Nuvem Literária

Quem acompanhou o blog no comecinho sabe o quanto eu gostei de ler a série Academia de Vampiros. Richelle Mead tinha uma mania estranha e encantadora de escrever reviravoltas, e elas me deixavam louca da vida, mas me faziam gostar mais dos livros. Por isso, eu gostaria muito de ter escrito a série toda, na verdade, mas me contentaria com O Beijo das Sombras.

3. Não vale a pena cortar árvores por ele:

Créditos da Imagem: Portal Caneca

Tive que burlar a regra e escolhi logo uma série inteira para esse item: a série Os Imortais, de Alyson Nöel. Para Sempre, primeiro livro da série, tinha uma história de fantasia que era até aceitável e bonitinha, mas a partir de Lua Azul a série desandou. Li ainda Terra de Sombras para ver se algo se salvava, mas não deu mais. Agora tenho os seis livros em casa, os três últimos eu nem cheguei a ler, e provavelmente ficarão na estante forever.

4. Não é você, sou eu: Um livro bom lido em uma época errada


Gênesis, de Bernard Beckett, era um livro pelo qual eu tinha expectativas extremamente altas. Assim que seu preço ficou viável, adquiri o livro e logo comecei a ler. Só que a história tem uma reviravolta chocante para a qual eu não estava preparada, e definitivamente ela ia muito além do que eu esperava da leitura. Isso, na época, foi verdadeiramente frustrante, e o livro se tornou um "patinho feio" na minha estante. Hoje penso que a história era bastante original, então poderia vir a gostar se lesse de novo. Além disso, tirei desse livro citações fantásticas.

5. Eu tentei: um livro que eu tentei ler, mas não consegui


Existem pouquíssimos livros na vida que eu desisti de ler. Pouquíssimos mesmo, no máximo 3 ou 4. Eu consigo sempre ver o lado bom da leitura, mesmo que ela seja cansativa. Mas Atlantis, de David Gibbins, foi extenuante, traumatizante. Eu li até a página 100 com muito esforço, e não deu mais.

6. Ahn? Um livro que não entendi ou um livro com final surpreendente


Objetos Cortantes, de Gillian Flynn, teve um final totalmente surpreendente.

7. Foi tão bom, não foi? Um livro que devorei

Crédito da Imagem: Mademoiselle Loves Books

O Lado mais Sombrio, que recebi quando era parceira da Novo Conceito, foi uma leitura bastante gostosa. O segundo volume da série, porém, era incrivelmente envolvente, e eu devorei Atrás do Espelho em um piscar de olhos. A série é maravilhosa, pena a demora para a publicação dos demais livros.

8. Entre livros e tachos: uma personagem que gostaria que cozinhasse para mim

Crédito da Imagem: Alma Crítica

Queria que Madeline, de O Pão da Amizade, cozinhasse para mim. Além de ter um café, onde servia coisas aparentemente deliciosas, fiquei com vontade de comer o pãozinho durante todo a leitura.

9. Fast Foward: um livro que poderia ter menos páginas, que não se perderia nada

Crédito da Imagem: Mademoiselle Loves Books

Definitivamente, Lições de vida.

10. às cegas: um livro que você escolheu só por causa da capa

Crédito da Imagem: Dias Estilosos

A Última Carta de Amor, de Jojo Moyes, me encantou por sua capa. Na época que consegui o livro por troca no Skoob, ainda não conhecia a fama da autora, e a história valeu a pena.

11. O que conta é o interior: um livro bom, com uma capa feia


A Hospedeira, de Stephenie Meyer. Eu adorei esse livro quando li (há muito tempo), e odiava essa capa.

12. Rir é o melhor remédio: um livro que te fez rir

Créditos da Imagem: Haila Martins

Eu li O Segredo de Emma Corrigan há muitos anos, eu era bem adolescente ainda. Foi minha mãe que chegou em casa com ele um dia, na época que comprar livros não era muito fácil. E eu ri, ah, eu ri!

13. Tragam-me os kleenex: um livro que te fez chorar

Créditos da Imagem: Diamont Lilac

Eu choro bastante com livros, mas acho que Um Dia foi um dos que mais me fez chorar - uns dois capítulos inteiros ou três.

14. Este livro tem um V, de volta: um livro que você não emprestaria para ninguém
Ai gente, não sei. Já desencanei de não emprestar.

15: Espera aí que eu já te atendo: um livro ou um autor que está odiando constantemente

Poxa, sessão difícil! Posso citar a Alyson Nöel de novo? rsrs

E então, o que acharam da Tag?
Não vou indicar ninguém específico, mas fiquem à vontade se quiserem fazer!


Leia Mais
18 comentários
Compartilhe:

Novidade #123: Autores Nacionais

Oi pessoal, como vão vocês?

Hoje decidi trazer algumas novidades de autores nacionais. Repararam no quanto as oportunidades para eles têm aumentado no mercado editorial e que muitos vêm conquistando espaço nas grandes editoras? Fico mais que feliz com isso, tanto pelo sucesso profissional de cada um, quanto pela possibilidade de todos terem acesso aos seus livros.

A primeira novidade é sobre o livro Sob a luz dos seus olhos, da Chris Melo, que será publicado pelo selo Fábrica231 da Rocco. Eu já li um livro da autora e gostei muito, espero ter oportunidade de ler este também:

Considerada a “Nicholas Sparks de saia” pelos fãs, por suas histórias românticas voltadas especialmente para o público jovem adulto, a paulista Chris Melo estreia na Rocco, pelo selo Fábrica231, com Sob a luz dos seus olhos. A trama conta a história de Elisa, que embarca para a Inglaterra decidida a começar sua vida adulta, levando na bagagem seus planos e sonhos para o futuro; e Paul, um artista tentando se encontrar e que vive intensamente cada momento. O que poderia ser apenas um encontro casual entre dois jovens tentando achar o seu lugar no mundo se transforma, pelas mãos de Chris Melo, numa profunda jornada de autoconhecimento, superação, perdão e recomeços protagonizada por duas pessoas comuns que experimentam o poder extraordinário do amor. Um presente para quem já é e para quem vai se tornar fã de Chris Melo.
Lindo, não?

E temos duas novidades da autora Josy Stoque. A primeira é que seu novo livro, Não sonhe com o amanhã, que estava disponível na Amazon, teve os direitos adquiridos pela Editora Qualis, e será publicado, em breve, na versão física.

"A procura pela felicidade nunca foi tão arriscada"
A delegada federal Pâmela Frigo e o delegado civil Cássio Nascimento cultivam uma amizade que o tempo tornou inabalável. A luta pela verdade e pela justiça os uniu de tal forma que não podem mais viver sem o outro. Juntos, eles cuidam de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, lugar que fizeram de lar depois de mudanças em suas vidas. No entanto, um assassino de mulheres surge, aterrorizando os moradores da cidade e levando o casal a ultrapassar seus limites para pegá-lo.


Além disso, a autora está escrevendo um livro junto com Mila Wander, entitulado "Eu Nunca", que será postado no Wattpad e lançado na Amazon no fim de Janeiro.

"O que você faria se dividisse um prêmio de trezentos milhões de reais com um desconhecido?"
Pauline de Freitas Dias, uma mulher bem resolvida que ama viver a liberdade plena, sabe exatamente o que fazer! Ela já tinha em mente o itinerário da viagem mais incrível de sua vida antes mesmo de fazer a aposta. Sua empolgação ao falar dos destinos mais inusitados da lista contagia o tímido Joseph Ayres, com quem literalmente esbarra na fila da lotérica. Ele é convencido a jogar pela tagarelice sem fim da doidinha, mesmo que relute devido aos seus princípios rígidos. O destino faz com que marquem os mesmos números e ganhem uma bolada inédita! Animada com a sorte dupla, Pauline convida Joseph para acompanhá-la em uma aventura pelos lugares mais exóticos do país. De cara, percebem o quanto são diferentes: ela é uma paulistana completamente liberal e ele é um mineirinho virgem que acabou de ser enxotado pela noiva. Disposta a fazer Joseph se permitir de verdade, Pauline estipula três regrinhas antes de iniciarem a viagem: 1) nada de usar o celular, 2) experimentar tudo o que puderem e 3) não se apaixonar. Ambos têm muito dinheiro para gastar e nada a perder, mas não podem prever que essa experiência única se tornará a mais louca de suas vidas, principalmente quando começam a quebrar as regras, uma por uma. (Link no Wattpad)

 De quais novidades vocês gostaram mais?

Leia Mais
20 comentários
Compartilhe:

Top School! Código Secreto - Toni Brandão

Sinopse: Top School!, a escola de modelos mais badalada do universo, prepara as garotas e os garotos mais lindos, atrevidos e descolados para entrar pela porta da frente no mundo da moda... e brilhar nas passarelas, fotos, capas de revistas. Mas nem só de caras e bocas vive a Top School!, claro! Tantos gatos e gatas juntos só podia dar em duas coisas: romance e confusão. Acompanhe neste terceiro volume a conclusão eletrizante da história. Como assim Mia e Alice são irmãs?! Onde? Como? Quando? Por quê? E por quem as meninas foram separadas? Quais são os papeis de Antônia e Dona Aparecida nisso tudo? E qual será o desfecho das histórias de Ben, Guel, Ivan, Malu, Klau e das gêmeas indianas? Afinal, quem vai para Nova York representar o Brasil no maior concurso de top models do mundo? Será que todos os mistérios serão resolvidos? O babado fica fortíssimo no final de Top School! (Skoob)
BRANDÃO, Toni. Código Secreto. Top School! vol. 3. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2015.

No que se refere à literatura juvenil, não posso me dizer uma das maiores entusiastas. Eu gosto, leio alguns livros, mas acho que já tenho idade demais para me restringir a esse tipo de leitura. Claro que sempre há algumas exceções e um ou outro livro chega até mim. E foi o que aconteceu com a série Top School!, que se encerra com esse volume, Código Secreto. Enriquecida com mistérios e mais mistérios, a série traz, em seu último volume, as respostas tão esperadas, sem deixar de lado a diversão e a aventura que já estavam presentes nos primeiros livros.
Comentei nas resenhas dos livros anteriores que a linguagem utilizada é jovial e acessível, e a construção do texto é o que dá dinâmica ao livro: há mais opiniões do narrador, em terceira pessoa, do que narração propriamente dita. Ainda que isso pareça estranho inicialmente, na verdade torna a leitura mais divertida, já que os comentários são voltados para o leitor, enquanto os personagens se mantêm alheios aos apontamentos.

Também como nos livros anteriores, a edição conquista o público ao qual se destina, com páginas coloridas e pequenas ilustrações de objetos pertinentes à trama, além das diversas referências às redes sociais. Tudo isso contribui para situar o texto na realidade dos jovens.

Neste último volume, finalmente as respostas surgem. Depois de capítulos e mais capítulos de mistérios, começamos a entender o que está por trás de cada ato dos personagens, e as máscaras começam a cair. Em Código Secreto, descobre-se, finalmente, de que lado estão Antônia e Dona Aparecida, bem como o que são os pingentes de Mia e Alice. As soluções dos casos não chegam a ter cenas de tirar o fôlego, mas mantêm suspense capaz de pregar qualquer leitor.

Além disso, também foi legal conhecer quem iria representar o Brasil no concurso Fierce Beauty, e a escolha foi inusitada. Foi bom também ver um lado sentimental de Malu aflorar, já que a vilã juvenil precisou se adequar a uma boa dose de realidade.

Top School! não chegará a ser memorável para mim, mas se fez uma leitura divertida que conseguiu me surpreender em diversos aspectos. Código Secreto encerrou a série com uma imensidade de pontos fortes e acredito que, para os leitores mais jovens, há grande chances de que sejam apanhados pela leitura.


#3 - Código Secreto

Leia Mais
16 comentários
Compartilhe:

Promoção: Aniversário do blog Lisossomos


O sorteio vai até 04/02/2016.

Os prêmios são de responsabilidade de cada blog.

REGRAS:
- Residir em território nacional.
- Preencher as regras obrigatórias.
- Responder o email em até 48 horas, caso contrário perderá o direito ao prêmio e outra pessoa será sorteada.
- Perfis fakes, usados para participar somente em promoções serão automaticamente desclassificados.
- Na opção "visit" você deve curtir a página.
- Não nos responsabilizamos por furtos, roubos, extravios ou quaisquer danos causados pelos correios.
- O autor de cada livro será responsável pelo envio do livro em até 45 dias.

a Rafflecopter giveaway
 
a Rafflecopter giveaway
 
a Rafflecopter giveaway
 
a Rafflecopter giveaway
 
a Rafflecopter giveaway



Leia Mais
14 comentários
Compartilhe: