Conjuntando #69: Minha Estante - Vídeo

Olá pessoal, como estão?

Já estamos no último dia de carnaval, mas por aqui aproveitei para colocar algumas leituras em dia e organizar umas postagens que queria muito fazer no blog.

Por hoje, temos vídeo novo! O canal não anda muito movimentado, admito, mas surgiu uma vontade gigante de mostrar para vocês como é minha estante aqui em casa. Curiosos? Então confiram o vídeo e, se quiserem, inscrevam-se no canal.


E aí, gostaram?

Se tiverem curiosidade que eu mostre algo mais, me avisem. Conforme seja possível, quero postar mais conteúdos em vídeo. ;)

Leia Mais
10 comentários
Compartilhe:

Jantar Secreto - Raphael Montes

Sinopse: Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de sucesso na capital fluminense. Mas o dinheiro está curto e o aluguel está vencido. Para sair do buraco e manter o apartamento, os amigos adotam uma estratégia heterodoxa: arrecadar fundos por meio de jantares secretos, divulgados pela internet para uma clientela exclusiva da elite carioca. No cardápio: carne humana. A partir daí, eles se envolvem numa espiral de crimes, descobrem uma rede de contrabando de corpos, matadouros clandestinos, grã-finos excêntricos e levam ao limite uma índole perversa que jamais imaginaram existir em cada um deles. (Skoob)
MONTES, Raphael. Jantar Secreto. Cia das Letras, 2016. 360 p.


Há duas formas de encarar Jantar Secreto: a primeira, e mais óbvia, seria um misto de drama e horror, onde um grupo de jovens, vindos do interior do Paraná, fracassam na tentativa de construir uma vida profissional de sucesso no Rio de Janeiro, e encontram a solução de seus problemas na organização de jantares milionários, onde servem carne humana. Por esse pequeno enredo, fica evidente o quanto a narrativa pode ser pesada e degradante. Entretanto, seguindo por esse caminho, o livro fracassa miseravelmente.


A segunda forma de encarar Jantar Secreto, é classificar a história de humor negro, onde o absurdo das situações faz rir. Por esse outro caminho, o livro agrada e atinge o objetivo de entreter, o que, talvez, não tenha sido o proposto originalmente pelo autor.

Quando se escreve uma história, o autor precisa tomar cuidado com diversas coisas. Entre elas, transformar o que conta em algo verossímil, algo que o leitor compra e acredita, mesmo que os personagens sejam anjos, vampiros, monstros, ou, neste caso, jovens que propagam o canibalismo como forma de ganhar dinheiro.

Ao iniciar a leitura de Jantar Secreto, o leitor começa acreditando que algo irá acontecer, mas já nas primeiras páginas, quando o motivo do canibalismo é apresentado, começa uma trajetória de absurdos, que vão crescendo em quantidade e intensidade, que não convencem, não só pelos furos do roteiro, como pelas motivações.

Nesse ponto, a obra não desaba apenas por um motivo: o humor empregado acidentalmente nos pensamentos e ações de todos os personagens. Digo acidentalmente, porque, pelo minha ótica, o autor não teve essa intensão, uma vez que, por diversas vezes, ele coloca Dante, o personagem principal e narrador, a dizer que o que está contando é sério, que o que eles estão fazendo, poderia ser feito por qualquer um de nós nas mesmas situações, que as coisas que eles perpetuam é horrendo e que não é passível de perdão. O que penso é que, ao escrever, o autor percebeu o quanto as situações criadas eram desprovidas de causa, que era necessário implorar para o leitor acreditar que elas poderiam, realmente, acontecer.


Sinto muito, mas não. Ninguém em perfeita saúde mental, ou mesmo nem tanta, apenas por uma dívida de aluguel, que pode ser paga com o dinheiro da mãe de um deles, torna-se assassino e comedor de pessoas. Inclusive, o autor, ainda pela voz de Dante, afirma que as pessoas loucas são menos perigosas que as normais, uma vez que são estas últimas quem, normalmente, perpetuam as maldades. Novamente, sinto discordar. A partir do momento que uma pessoa executa um ato de maldade sem causa, ela tem uma psicopatia e, portanto, não é normal.

Então, o que nos resta, é acompanhar o desenrolar dos acontecimentos e rir dos absurdos que vão sendo apresentados, como a prostituta que se mostra extremamente competente em decepar membros humanos, suando uma motosserra amarela com adesivos, o cozinheiro que usa esses membros como se fossem iguarias, o administrador que recebe os convidados com um sorriso no rosto, mesmo sabendo que as pessoas estão sendo assassinadas, e o especialista em informática, que consegue invadir quase qualquer computador, menos uma conta do Instagram, quando uma foto do jantar vaza.


Encarando dessa forma, como uma comédia recheada com partes humanas e regada com sangue, a leitura é prazerosa e divertida, principalmente pelo total declínio de caráter dos personagens principais: Dante é gay, passa todo o livro lamentando sua vida desgraçada, sua incapacidade de impedir os jantares e o desmoronamento da amizade com seus amigos, além de criar um romance, justamente, com o marido de uma das pessoas que foram servidas no jantar; Hugo almeja ser um cozinheiro famoso, criador de iguarias difíceis de reproduzir, o que, de certa forma consegue; Miguel torna-se médico e, da mesma forma que Dante, passa todo o livro chorando e dizendo que não quer participar daquele negócio horrendo, mas sempre acaba se envolvendo; Leitão é o hacker, cujo conhecimento de informática é tão extenso quando a necessidade do enredo, isto é, ele vai de um burro total a um gênio nos computadores; e, finalmente, a personagem mais interessante e engraçada, que é Cora, a prostitua que Dante, Miguel e Hugo contratam como presente de aniversário de Leitão, e que se torna peça fundamental de todo o enredo.

Inclusive, Cora é a protagonista de algumas tiradas que o autor dispara a diversos segmentos. Ela escreve poesias e frases de efeito, porque seu sonho é escrever e publicar um livro. Essas frases são mencionadas por Dante em toda a narrativa, e sempre estão associadas a algo que aconteceu, ou que está prestes a acontecer. Em determinado momento, lá para o meio do livro, Dante precisa encontrar uma forma de lavar o dinheiro que os cinco ganham. A forma que ele encontra, é publicando os textos de Cora, como se fosse uma editora. E após isso, Cora se sente realizada, dizendo ser uma autora publicada.

Realmente, hoje em dia, para ser um autor de livro publicado, só é necessário dinheiro. Existem diversas editoras que funcionam como gráficas, que não se preocupam com o conteúdo ou qualidade da obra, que não fazem revisões ou expõem opiniões, e publicam qualquer coisa que qualquer um pague. Entretanto, um autor publicado por uma editora tradicional, que não cobra pelo serviço, também não oferece garantias de qualidade, uma vez que se qualquer um observar, existe muita coisa ruim publicada por editoras ditas como grandes. E se o autor não paga para isso, existe algo que se chama lobby, ou seja, peixinho, quem indica, apadrinhamento. E isso, a meu ver, é bem pior que do que o autor que tem dinheiro para pagar pela publicação de sua obra.


Continuando o desmembramento de Jantar Secreto, o que começa com a ideia de apenas um jantar, servindo partes de um defunto ao preço de cinco mil reais por pessoa, torna-se um aglomerado industrial, com abatedouros espalhados por diversas capitais do país, envolvimento de inúmeros policiais de rodovias estaduais, como também detetives, garçons, açougueiros, motoristas, assassinos, sequestradores, e um crescente de outros absurdos, que seriam facilmente descobertos e desmascarados, pela extensão que atingiram, até que chegamos a um clímax onde se confunde o certo com o errado, onde não se aplica nenhuma moral, onde jorra sangue para todos os lados e onde é revelada uma explicação para tudo isso, que, enfim, é divertida e faz rir pelo teor nonsense.

Entretanto, tem uma coisa que Jantar Secreto faz muito corretamente, que é o paralelo entre a produção industrial de carne humana e carne animal. Por diversas vezes, o autor realiza essa comparação, alertando para que, hoje em dia, os matadouros são máquinas de produzir animais para abate, deixando de lado qualquer pingo de compaixão. Que a mesma carnificina realizada nas pessoas, que ele descreve no livro, existe igual para bois, galinhas, porcos, etc. Tudo bem que precisamos delimitar as duas comparações, contudo não podemos esquecer que em ambas, estamos tratando de seres vivos.


Resumindo: encare Jantar Secreto como uma história gore, divertida, onde não é necessáiro se preocupar com a lógica do enredo, nem com a motivação de cada personagem, simplesmente aproveite a leitura, ria dos absurdos e, ao fim, procure algo mais sério e com alguma moral para contrabalançar.

Leia Mais
9 comentários
Compartilhe:

Novidades #158: Série Angus - Novo Conceito

Ei peops, como vocês estão?

O assunto de hoje é a série Angus, que está sendo relançada pelo Grupo Editorial Novo Conceito pelo selo Novas Páginas.

O livro Angus - Origens, uma trama prévia à história, foi lançado na Comic Con 2016, onde foram distribuídos 10 mil exemplares para os participantes. Apesar de a Editora avisar que não haverá novas impressões desse livro, o conto está disponível para download grátis, na Amazon. É um ótimo motivo para conhecer essa história e ter um gostinho para continuar acompanhando. Saiba mais:

Angus: OrigensA origem do clã de Angus MacLachlam, de Orlando Paes Filho


Uma terrível batalha entre Bretanha e Irlanda. Um conflito entre duas religiões: a pagã do deus Cernunnos da Irlanda, e o Cristianismo, da Pictávia e da Escócia.
Neste obscuro cenário, uma espada sagrada é entregue nas mãos de um grande guerreiro: Oengus MacLachlam. Ele e seus ancestrais enfrentarão a mais devastadora invasão que tentará destruir a Cristandade e na Bretanha.
O futuro de grandes reis está em perigo, assim como o futuro de toda a Cristandade.






E o livro #1 da série será um dos lançamento de março da Editora, com o título Angus - O primeiro guerreiro:

Angus - O primeiro guerreiro, de de Orlando Paes Filho


Bretanha, ano de Nosso Senhor de 863. Cidades e monastérios são deitados ao chão. Os invasores fazem frente aos maiores reis da Bretanha, tudo se torna árido pela devastação. A morte se espalha por toda parte. Mas há um guerreiro de nome Angus MacLachlan, que não parece tombar diante dos ataques daneses. Ele não se curva aos dominadores nórdicos. Parece abençoado, luminoso, assim como luminosa é sua espada a espalhar cadáveres dos invasores. Ele parece libertar os cativos e propor uma nova resistência. Ele parece unificar reis. Um oponente terrível contra a invasão, que tenta destruir a Bretanha e seus reinos para sempre Angus - O Primeiro Guerreiro é o início de uma trilogia medieval ricamente ilustrada, que mistura literatura fantástica com importantes fatos históricos da humanidade.





Teaser:



Vale destacar que Angus já foi lançado em 30 países e ficou na lista de mais vendidos em países como China, Rússia, Taiwan, Austrália, Grécia, Espanha, Hungria e outros países da América Latina. E possuí até Card Game.

Para quem gosta de jogos e aventuras históricas, tenho certeza que será uma ótima leitura.

Mais informações:


Gostaram da novidade?

Leia Mais
7 comentários
Compartilhe:

Vida Dupla - S. J. Watson

Sinopse: Quando Kate é assassinada, a única forma que sua irmã Julia encontra de lidar com o luto é fazer o trabalho da polícia: procurar o assassino. Porém, ao descobrir que a irmã tinha perfis em sites de relacionamentos para conhecer homens e fazer sexo com eles, virtual ou não, o que antes era uma busca por um criminoso se torna uma exploração de suas fantasias sexuais mais secretas. Mas isso coloca em risco seu casamento, sua família e sua própria vida. (Skoob)
WATSON, S. J. Vida Dupla. Record, 2016. 434 p.


Não adianta mais para mim aquele papinho de "não julgue o livro pela capa". Infelizmente vou continuar escolhendo o que ler assim, porque é a primeira coisa que chama a minha atenção. O que eu mais gostei na capa de Vida Dupla foi a confusão que ela me causou: se você prestar muita atenção nela, começa a embaralhar tudo. O melhor - ou pior, depende do ponto de vista - é que combina cem por cento com a historia. 

Preciso confessar para vocês que comecei a leitura desse livro com preguiça, e olha que isso raramente acontece comigo. Aqui, conhecemos a história de Julia, fotógrafa e mãe de família, que leva uma vida tranquila com seu marido e filho até que recebe a notícia que sua irmã mais nova, Kate, foi assassinada. Kate havia sido encontrada em um beco, sem nenhum sinal de abuso, com um trauma na cabeça. 

Apesar de o marido lhe dar certeza que a polícia está investigando o caso, passam-se meses sem uma mísera resposta sobre o assunto e cansada de esperar, Julia resolve procurar o assassino ela mesma. Tentando entender melhor a vida da irmã, Julia começa uma amizade com a ex-colega de quarto de Kate e, em uma das conversas, descobre que a jovem serpenteava em sites de relacionamento a procura de sexo casual e, em grande partes das vezes, virtual. Assim, Julia não coloca na cabeça que um desses homens é o assassino de Kate.

Mesmo com a polícia de olho nessas redes, Julia resolve criar uma conta para entrar em contato com alguns dos homens que Kate conversava. A partir daí, a mulher vira outra pessoa e começa a se envolver demais com os caras dos sites de relacionamento. Apesar de usar a desculpa de que tudo o que está fazendo é para esclarecer a morte da irmã, começa a esconder as coisas do marido e do filho. Então, sim, Julia começa a viver uma segunda vida, uma vida que precisa manter em segredo. 

Primeiramente, já queria começar deixando claro que, apesar de ter gostado muito do livro, muito mesmo, não concordei em nenhum momento com as atitudes da personagem principal. No começo eu até entendia as atitudes de Julia, ela só queria uma resposta, assim como qualquer pessoa que teve um amigo ou familiar assassinado. Só que a partir de certo ponto do livro, ela simplesmente parece "esquecer" a morte da irmã, que foi o motivo de ter começado a fazer tudo o que fez, e começa a dar mancada atrás de mancada.

Este parágrafo contém spoiler, se não quiser saber um detalhe importante da história, é só ir para o próximo. Bom, não é difícil de imaginar que a Julia começa a se relacionar com alguém que conhece na internet, e que trai o marido, e que esconde vários segredos, não é? O tempo inteiro fiquei me questionando o porquê da traição sendo que ela fala que Hugh é o melhor companheiro do mundo, que o ama, que não sei o quê lá mais. Eu não sou ninguém para julgar, longe disso, mas eu sinceramente acho que se você ama uma pessoa, não sente necessidade de outras - mesmo em situações mais delicadas, não justifica. 

O livro, que é dividido em cinco partes, só começa a pegar aquele ritmo frenético na terceira parte, que é onde as coisas sérias começam a acontecer. Só que mesmo com esse início lento, a gente fica tão envolvido com a história, tão curioso pra saber o que vai acontecer que não consegue parar de ler de jeito nenhum. A medida que os acontecimentos vão surgindo, vai dando aquele misto de raiva, angústia, medo pela personagem - ao mesmo tempo em que surge aquele sentimento de "será que ela está merecendo tudo isso que está acontecendo?" - e ansiedade para saber o desfecho da história. 

E o final, meus caros, foi realmente surpreendente. Uma pena eu ter lido o infeliz antes da hora — juro juradinho que foi totalmente sem querer, mas é uma longa história. De repente, todas as coisas envolvendo Julia, Kate e Connor, o filho de Julia, fazem sentido. Foi preciso um tempinho para digerir todos os fatos e a explicação dada. Creio que S. J. Watson conseguiu criar uma trama bastante complexa e sem furos, pelo menos na minha percepção. Vida Dupla é aquele tipo de livro que você pega para ler sem nenhuma expectativa, mas que acaba prendendo e deixando aquele gostinho de quero mais.

Leia Mais
7 comentários
Compartilhe:

Ao seu encontro - Abbi Glines

Sinopse: Há apenas alguns meses, um encontro inesperado numa casa em Rosemary Beach se transformou num romance de conto de fadas. Agora Reese está prestes a ir morar com Mase na fazenda dele, no Texas. Com o apoio e o amor da família do namorado e a recente descoberta de que ela mesma tem uma família com a qual contar, Reese pode enfim superar os horrores do passado e se concentrar no futuro promissor que a aguarda.
No entanto, no que depender de Aida, isso não vai acontecer. A beldade loura e Mase foram criados como primos, mas logo fica claro para Reese que o amor da jovem por ele está muito longe do que se deveria ter por um parente.
Ao mesmo tempo que Reese tenta entender a relação dos dois e não se sentir ameaçada, entra em cena Capitão, um estranho que parece estar, convenientemente, em todos os lugares que ela frequenta. Bonito, sensual, misterioso e dono de uma franqueza desconcertante, ele não tem medo de dizer o que pensa de Mase - nem como se sente a respeito de Reese.
Enquanto a competição pelo coração de Mase e de Reese esquenta cada vez mais, algumas perguntas em relação ao passado dela começam a ser enfim respondidas, revelando verdades chocantes que vão mudar para sempre a vida do casal.
Em Ao Seu Encontro, Abbi Glines conclui a história que começou em À Sua Espera. Com a escrita romântica e voluptuosa que a consagrou, ela constrói mais uma narrativa envolvente, com personagens que vão mexer com as nossas emoções até o final. (Skoob)
GLINES, Abbi. Ao seu encontro. Rosemary Beach #11. Editora Arqueiro, 2016. 224 p.


O primeiro contato que tive com a escrita de Abbi Glines foi bastante recente, quando li À sua espera, livro da série Rosemary Beach que conta o romance entre Mase e Reese. O último capítulo daquele livro deixou um imenso ponto de interrogação e uma enorme curiosidade, e eu queria logo compreender melhor aquela novidade trazida tão no finzinho da história.

Infelizmente, nesse aspecto, Ao seu encontro, que é sequência daquele volume, deixou um pouco a desejar. Eu estava ansiosa para saber mais detalhes da família de Reese e da busca empreendida para encontrá-la e, em vez de aproveitar o gancho e criar uma boa trama em cima disso, a autora "pulou" essa parte, comentando alguns acontecimentos bem superficialmente, e passou para uma trama totalmente diferente. Uma pena, já que se tratava de um contexto que poderia ser explorado com mais detalhes.

Ainda assim, após essa pequena frustração inicial, a leitura logo engrenou e devorei o livro em poucas horas. Também pudera, Abbi Glines tem uma escrita fluida e dinâmica e os capítulos curtos, de três ou quatro páginas cada, contribuem para aquele típico "só mais um capítulo" eterno. A narração em primeira pessoa, intercalada entre os protagonistas da história, que já era adotada no primeiro livro, continuou agradando, já que permite compreender a sinceridade de ambos os personagens.

"- Saber que minha filha está com um homem que é capaz e vai protegê-la com a própria vida é reconfortante para mim. Ela ama você, e posso ver que você a ama. Mas quero que entenda que, se em algum momento você deixar de amá-la ou não puder protegê-la, deve trazê-la para mim. Está me entendendo?
Eu jamais iria desistir de Reese. Por motivo nenhum.
- Estou. Mas esse dia nunca vai chegar. Reese é minha vida. Ela é o meu futuro."

Como no livro anterior, a trama envolve e é gostoso acompanhar o desenvolvimento do casal, o amadurecimento de Reese e Mase diante das dificuldades que enfrentam. Claro que se trata de um romance de entretenimento e não há um grande aprofundamento nos aspectos psicológicos para além dos sentimentos dos dois, mas os temas sérios tratados no primeiro livro, como abusos físicos e psicológicos, bem como a dislexia, trazem reflexos para esse segundo livro e eu gostei do crescimento dos personagens diante de tudo isso.

As cenas íntimas entre os dois foram bastante reduzidas, o que eu gostei, já que tirou espaço para as firulas irritantes que estavam presentes na trama anterior. Mesmo assim, ainda teve algo que não me agradou em Mase: seu ciúme exagerado. Claro que ciúme é até normal em um relacionamento, mas ele estava quase no limite do possessivo. A única coisa boa a respeito disso foi que a autora criou um personagem que conseguia se controlar e não tentou manipular Reese, mas eu não consegui deixar de me irritar um pouquinho com ele.

De todo modo, um dos aspectos mais interessantes da série Rosemary Beach é a interligação entre as histórias. Os personagens secundários desse livro são protagonistas de outros e, para quem já os conhece das leituras anterior, deve ser ótimo poder revê-los. Para mim, que só li esses dois livros da série, esse entrelaçamento serve para me deixar curiosa pelas outras tramas e, neste livro, fiquei louca para conhecer o romance de Kiro e Emily e para saber um pouco mais sobre o Capitão, principalmente.

Apesar dos aspectos que não me agradaram tanto na obra, Ao seu encontro teve um final fofo e romântico e foi uma leitura deliciosa de se fazer.

Leia Mais
10 comentários
Compartilhe:

Promoção: Harry Potter Ilustrado


Melhor que ler os livros de HARRY POTTER, é ler e ver belíssimos desenhos que ilustram cada um dos mais importantes acontecimentos da história. Por isso, o GETTUB e mais alguns blogs amigos, uniram-se para presentear um sortudo com as duas edições ilustradas da ROCCO, mais alguns brindes exclusivos. 

PARCEIROS
REGRAS
1. O vencedor precisa residir, ou ter endereço de entrega, em território nacional;
2. O período de inscrição será do dia 22/02/2017 ao dia 22/03/2017;
3. O GETTUB será responsável pelo envio dos PRÊMIOS. O prazo de envio é de até 30 DIAS ÚTEIS, e o GETTUB não se responsabiliza por danos, extravios ou retornos das encomendas;
4. O vencedor terá um prazo de 48 HORAS, após o resultado, para entrar em contato com o GETTUB. Caso contrário, o sorteio será refeito;
5. O contato com o vencedor será feito POR E-MAIL, apenas. Então, é muito importante que ele esteja correto ao preencher o formulário;
6. O resultado da promoção será divulgado no dia 23/03/2017;
7. Este sorteio é de caráter recreativo/cultural, conforme item II do artigo 3º da Lei 5.768 de 20/12/71 e dispensa autorização do Ministério da Fazenda e da Justiça, não está vinculada à compra e/ou aquisição de produtos e serviços e a participação é gratuita;
8. O blog GETTUB se reserva o direito de dirimir questões não previstas nestas regras.


FORMULÁRIO

As QUATRO primeiras entradas são OBRIGATÓRIAS e valem UM PONTO. Todas as outras são OPCIONAIS, mas cada uma vale CINCO PONTOS. Quantos mais pontos somar, mais chances tem de ganhar.


a Rafflecopter giveaway

Dúvidas quanto ao sorteio, deixe uma mensagem neste post.

BOA SORTE!

Leia Mais
10 comentários
Compartilhe:

Seduzida Por Um Guerreiro Escocês - Maya Banks

Fonte da imagem: Gettub
Sinopse: Eveline Armstrong é imensamente amada e protegida por seu clã, mas as pessoas a consideram diferente, pois apesar de ser linda e encantadora, a moça sofreu um acidente que lhe causou sequelas não só psicológicas, mas também físicas, visto que ela ficou surda. Satisfeita com sua vida reclusa, ela aprendeu a ler lábios e permitiu que o mundo a enxergasse como uma tola. Contudo, quando um casamento arranjado a torna esposa de Graeme Montgomery, integrante de um clã rival, Eveline aceita seu destino - despreparada para os deleites que viriam. Enredado pelos mistérios de Eveline, cujos lábios silenciosos são cheios de tentação, Graeme vê seu casamento ameaçado devido às rivalidades entre clãs e agora deverá enfrentar inúmeras adversidades para salvar a mulher que lhe despertou tanto amor. (Skoob)
Maya Banks. Seduzida Por Um Guerreiro Escocês. Editora Universo dos Livros, 2016. 338 p.


Maya Banks é ótima escrevendo livros Hot e New Adult, mas ela é genial escrevendo romances da época medieval.

Os Armstrong e os Montgomery são inimigos de sangue e têm um histórico de muita violência e guerra entre os dois clãs. Essa guerra já se entende por muitas gerações. Para reverter ou acalmar essa situação, o rei decreta que a única filha do Laird Armstrong deve se casar com o Laird Montgomery.

Eveline Armstrong é uma moça encantadora, muito forte e determinada, e é, também, muito protegida por seu clã, mesmo que leve a fama de ser louca.

Três anos atrás, ela estava noiva de um homem desprezível, que a aterrorizava. Em um determinado dia, ao sair a cavalo, ela sofre um acidente e só é encontrada três dias depois, queimando em febre, Após muitos dias inconsciente, ela acorda em um mundo silencioso. Como consequência de não ouvir mais, ela para de falar, já que não consegue distinguir a altura que sua voz está. Isso acaba levando sua família a acreditar que ela ficou louca depois da queda, o noivado é rompido e ela contínua se escondendo atrás da sua surdez por três anos, sem coragem de contar à sua família o real problema que ela tem.

No entanto, o decreto real á leva a temer novamente por sua vida.

Do clã Montgomery, temos Graeme, um homem justo e forte, de um caráter impressionante, que apesar de todas as desavenças com o outro clã, trata sua noiva com extremo carinho. A química entre o casal é quase que imediata, e os sentimentos vão surgindo aos poucos. Mas, até o desejado felizes para sempre, ainda há muito o que acontecer. 

No começo, Graeme e seus dois irmãos não ficaram nada feliz com o decreto real, no entanto, Eveline vai ganhando seu lugar no coração do seu novo clã e no do seu marido.

Uma coisa que me deixou bastante encantada, foi a capacidade que a Eveline tem de perdoar, de sempre tentar ver o lado positivo das coisas, mesmo quando as pessoas a machucavam, mesmo quando foi obrigada a abandonar seu lar e ir morar com o inimigo, mesmo quando foi humilhada e maltratada pelo seu novo clã. Ela levou o decreto como uma segunda chance, e estava disposta a fazer da sua nova vida o melhor que ela conseguisse.

Graeme foi um espetáculo a ser lido, ele é o tipo de mocinho que você ama nas primeiras páginas, ele entendia a situação que a Eveline estava sendo exposta e fazia de tudo para que ela se sentisse bem-vinda e amada, mesmo que para isso ele tivesse que ir contra seu próprio clã.

O livro é narrado em terceira pessoa entre Graeme e Eveline, o que nos dá uma visão mais ampla do que se passa no decorrer da narrativa.

O próximo livro da trilogia é sobre Bowen, um dos irmãos de Graeme, e para minha felicidade já está em pré-venda. Leitura super recomendada!

Leia Mais
17 comentários
Compartilhe:

Promoção: Sorteio Literário de Carnaval


Olha o Carnaval aí gente!!

Como não podíamos deixar passar a data em branco, unimos 27 blogs para o desfilar no Sorteio Literário de Carnaval! Vamos rechear a estante de livros nesse carnaval!

Não perca tempo e participe do sorteio. São vários livros divididos em 3 kits, com 3 ganhadores por kit. Encontre o seu preferido e participe! Ou participe de todos, aqui pode!


Kit 1 – Bloco de Embalo


Literalizando Sonhos - A Garota do Calendário - Janeiro | Escuta Essa - Comprometida + Marcadores
Minhas Escrituras - Quatro | Da imaginação à escrita - Cartas para o mundo
Resenhando Sonhos - Geek Love | Lost Girly Girl - Holy Cow
Saleta de Leitura - Beijada por um Anjo + Marcador | Seguindo o Coelho Branco - Chapeuzinho Esfarrapado + Marcadores
Pétalas de Liberdade - Mulheres e Meninas

Kit 2 – Bloco Lírico


O que tem na nossa estante - Becky Bloom ao resgate + Marcadores
Doces Letras - Dormindo com o Bilionário + Marcadores | Mademoiselle Loves Books - Cela sem portas
Entre Aspas - Perdendo-me + Marcadores | Histórias Literárias - Bruxa da Noite
Balaio de Babados - Ela está em todo lugar | Livro Lab - Pés descalços + Marcadores
Felicidade em Livros - A Garota que você deixou para trás | Conjunto da Obra - Boneca de Ossos

Kit 3 - Bloco de Enredo


Uma Mãe Leitora - A culpa é toda de Marte | Livre Lendo - Deixe-me Entrar + Marcador
Fabrica dos Convites - Quando Tudo Volta | Eu pratico Livroterapia - 172 horas na Lua
Diário de Incentivo a Leitura - Apenas um garoto | Cia do Leitor - Encontro
Lendo & Apreciando - Inquebrável | Livreando - Caixa de Pássaros
Passaporte Literário - Além dos Olhos



Pedimos a todos que estiverem participando que deixem um comentário nesta postagem com seu e-mail válido.

REGRAS

- As primeiras entradas do formulário são obrigatórias. Cumprindo as entradas obrigatórias você libera chances extras. Quanto mais participar, mais chances terá de ganhar!
- O sorteio começa no dia 20/02 e termina no dia 25/03;
- O ganhadores serão anunciados neste mesmo post e redes sociais (twitter,post do sorteio no facebook, histórias do instagram);
- Os ganhadores terão um prazo de 48 hrs para responder ao e-mail que será enviado. Caso não deem retorno dentro do prazo estipulado, realizaremos novo sorteio;
- Serão 3 ganhadores por kit, o primeiro ganhador escolherá três livros, o segundo escolherá três livros e o terceiro ganhador ficará com os últimos três livros restantes;
- Os blogueiros se responsabilizam em enviar o livro no prazo estimado de 60 dias, depois do resultado do sorteio;
- Não nos responsabilizamos por extravios do Correios, nem por dados informados erroneamente pelo destinatário;
- Os livros serão enviados separadamente, por cada blog;
- O sorteio é válido em todo o território nacional.

BOA SORTE !!!

Leia Mais
21 comentários
Compartilhe:

Adeus, promessas - Kristin Halbrook

Sinopse: Um menino está morto. Outro está ferido. E, aparentemente, a culpa é de Kayla. Ela presenciou algo que não devia. Mas não contou nada para ninguém. Ninguém sabe o que realmente aconteceu naquela noite: o porquê de ela estar dirigindo um carro que caiu numa vala depois da festa de sua melhor amiga; do que viu nas horas que antecederam o acidente, e da promessa que ela fez para sua amiga Bean antes de sair de férias. Agora, Kayla está voltando para casa para terminar o Ensino Médio. Se ela ficar calada, pode até recuperar a sua antiga vida de volta. Mas, se contar a verdade, corre o risco de perder tudo – e todos – que já amou na vida. Adeus, promessas é um romance emotivo e provocante sobre uma garota que precisa decidir entre o silêncio ou admitir ter sido testemunha de uma terrível agressão. Uma narrativa que trata dos limites entre o segredo e a mentira em uma sociedade predominantemente machista. (Skoob)
HALBROOK, Kristin. Adeus, promessas. Editora Plataforma21, 2016. 296 p.


Estupro não é cometido apenas por marginais ou pessoas mentalmente insanas. Estupro é cometido, também, por quem se acha seguro de que não será punido, que se acha superior, que é machista, que acha que qualquer garota, no fundo, gosta de sexo não consensual, e se não gosta, o problema é unicamente dela.


É assim que alguns garotos, de uma pequena cidade do interior dos EUA, pensam. Filhos de pais ricos e influentes, jogadores de futebol americano no colégio, bonitos, fortes, admirados por quase todos, eles se acham acima da moral e da vontade. Mas não fazem isso abertamente. Fazem pelas sombras, onde não podem ser vistos, onde não existem testemunhas, e certos de que as vítimas não terão coragem de os delatar.

Kayla tem como melhores amigas, o trio: Jen, Selena e Bean. Andam sempre juntas. Isso, até que Kayla, no meio de uma festa de fim de semana, presencia um desses estupros, justamente com uma de suas amigas. Presa, ameaçada e levada por dois dos rapazes, para dentro de um carro, ela é obrigada a dirigir. E, então, faz o que pensa ser possível para se proteger, e proteger a amiga: joga o carro em uma vala, e mata um dos rapazes.

A partir desse ponto, acompanhamos as consequências de seus atos, e dos estupradores, através de uma narrativa em primeira pessoa, que viaja, em capítulos alternados, entre o passado e o presente. Vamos, aos poucos, entendendo o que aconteceu, como aconteceu, ao mesmo tempo que presenciamos o que Kayla terá que suportar, enfrentar e aceitar após o que fez.


O interessante de Adeus, promessas, além, claro, da mensagem que passa sobre estupro, é o clima de alegria presente nos capítulos que contam o passado, e o clima tenso, pesado, esmagador, dos capítulos que contam o presente.

O leitor pode ter uma ideia clara de como as coisas que parecem certas, na verdade podem não ser assim tão certas. De como algumas pessoas, no caso os garotos, podem parecer príncipes maravilhosos, belos, invencíveis, quando, na verdade, são monstros insensíveis, que podem destruir a vida de garotas, pelo único objetivo de transar.

É através dessa alternância que você vê o comportamento alegre de um personagem em um capítulo, para, no capítulo seguinte, ver sua verdadeira face. É uma paralelo incrível, e totalmente crível. É isso que muitas garotas vivenciam nas suas escolas, nos seus trabalhos, na rua, em qualquer lugar.


Por natureza, todos os homens, e, sim, estou generalizando, porque, como homem, sei que é verdade, são machistas e autoritários em relação à mulher. O caráter é o que nos impede de sermos monstros abusadores e agressores. É como se nós fossemos culpados desde que nascemos, e nossos atos é que nos salvam de uma condenação.

Isso também é demonstrado em Adeus, promessas, através de Noah, um garoto que sofre preconceito por ser das Filipinas, e que é o único que se aproxima de Kayla após o acidente. Ele desconfia do que aconteceu de verdade, mas não tem certeza. Mas ele sabe que pode ser verdade. Ele conhece sua raça. E quando tem certeza, sua reação é ambígua. Como se pudesse existir alguma culpa por parte da garota estuprada. Afinal, essa é a desculpa da maioria das pessoas que não acredita, inicialmente, que o estupro acontece por culpa do homem, mas porque a garota se veste de forma provocante, que atiça os garotos, que a culpa é dela por ser bonita e por os garotos não conseguirem se controlar.


Apesar de tudo isso, Adeus, promessas não chega a ser tão impactante quando eu esperava. Ele parece ter sido escrito para mostrar uma ferida aberta da sociedade, mas de forma a não tocar nessa ferida com o dedo. Ele reflete mais uma realidade da classe média-rica americana, onde esses crimes são tratados com sutilezas.

Ao final do livro, a autora conversa com o leitor sobre o estupro, e incentiva as garotas a tomarem uma atitude se forem molestadas e sofrerem algum tipo de abuso. Acho isso muito válido e importante. Conversar sobre estupro, nunca é demais. Assim como ler obras deste tipo.

Leia Mais
9 comentários
Compartilhe:

Simplesmente Amor - Helena Andrade

Sinopse: Um amor que nem mesmo a perda da memória foi capaz de apagar.
Imagine encontrar o amor verdadeiro, vivenciá-lo em sua plenitude e depois perdê-lo nas entranhas da mente.
Ao realizar uma viagem de férias à Europa, Alicia vive momentos que não só podem mudar seu futuro, mas também lhe trazem revelações do passado. Quando retorna ao Brasil, um acidente a coloca entre a vida e a morte, tendo como consequência a perda das lembranças. Sem consciência de suas experiências, ela retoma sua vida, casa com o antigo namorado e deixa o acaso conduzi-la. Porém, seu corpo começa a mostrar-lhe que existem mistérios por trás da amnésia, algo tão profundo que nem mesmo a perda da memória foi capaz de apagar. (Skoob)

Livro recebido em parceria com a Editora.
ANDRADE, Helena. Simplesmente Amor. Editora Ler Editorial, 2016. 210 p.


Simplesmente Amor foi uma leitura bem gostosa de se fazer. Com uma história bem bonita, que aquece o coração do leitor. O livro conta a história de Alícia, um jovem de 27 anos voltando de uma viagem que fez à Londres. Pouquíssima coisa foi revelada neste começo, mas tudo indicava que a moça havia encontrado uma nova paixão neste país.

Porém, por infelicidade do destino, Alícia sofre um acidente nesta volta, ficando em coma por alguns dias e perdendo a memória. Tudo o que aconteceu na sua viagem, foi apagado. E para completar a confusão, ela descobre que está grávida. Então decide se casar com Caio, o rapaz com quem ela namorava antes de viajar.

"Tinha que admitir que algumas escolhas, por mais corretas que pudessem parecer, nem sempre nos levavam ao melhor caminho."

O casamento não ia nada bem, Alícia sabia que antes da viagem os dois brigaram, mas não  conseguia se lembrar do motivo, tudo ficou muito confuso para ela. Percebendo ter tomado uma decisão precipitada, ela decide por um ponto final neste casamento que não estava dando nem um pouco certo.

"O vazio em minha mente tornou-se o vazio em meu coração."

Alícia foi vivendo sua vida, sentindo aquele vazio que a perda de memória causou. Até que um dia, acabou conhecendo Miguel, irmão de seu chefe no trabalho. Este encontro inesperado foi um tanto estranho, Miguel pareceu irritado ao ver a moça. Mas parecia haver alguma coisa que ligava os dois e aos pouquinhos foram em busca de uma linda história de amor.

Eu não sei qual foi a intenção da autora, mas posso dizer que matei a charada logo no começo do livro. Isso não tirou o brilho da história, muito pelo contrário. Mesmo sabendo o que ia acontecer, eu estava louca para saber como ia acontecer, precisava saber sobre todos os detalhes dessa história linda. Além dessa confusão toda, Alícia descobre coisas muito importantes sobre sua vida, o que deu ainda mais emoção ao livro.

Alícia é uma moça adorável, que ama a sua família e tem um carinho enorme pelo filho. A forma como a autora descreveu essa relação é muito tocante. Ela é aquela típica personagem que merece ser feliz. Miguel é um homem que a maioria das mulheres deseja, carinhoso, atencioso, sexy... Um tanto misterioso também! Mas ao final do livro descobrimos todos os seus motivos.

Outra coisa que merece destaque é a família de Alícia. A autora conseguiu criar um lar tão bonito, onde amor e compreensão prevalecem, mesmo com as diferenças de cada um, os sentimentos bons sempre são  maiores que tudo.

A história segue um pouco corrida no começo do livro, ficando mais profunda a partir do encontro entre Alícia e Miguel. Os dois se complementam de uma forma muito bonita, possuem uma conexão muito forte. A autora tratou o romance dos dois com muita delicadeza. Não tem como não torcer por esses dois.

"Sinto Miguel me pressionar junto a seu corpo. ele acaricia meus cabelos, removendo-os do pescoço. A música altera para tons mais suaves. A voz do vocalista, misturada ao som do baixo, penetram em mim. A melodia é profunda a ponto de tocar minha alma. Sinto seus lábios em meu pescoço e me arrepio. Se virar irei beijá-lo."


A única coisa que me incomodou durante a leitura foi o uso excessivo de exclamações. Na maioria dos diálogos havia um "!" no final, fazendo com que parecesse que o personagem estivesse sempre surpreso ao conversar. Mas de resto, não tenho do que reclamar. A capa está bonita, bem de acordo com a história e no começo de cada capítulo tem uma decoração florida bem bonitinha, muito capricho da editora.


Leia Mais
10 comentários
Compartilhe:

Novidades #157: Lançamentos Intrínseca Fevereiro

Oi pessoal, como vocês estão?

Hoje vim mostrar alguns lançamentos da Editora Intrínseca neste mês. Eu sei que fevereiro já está quase acabando, mas vale a pena dar uma conferida, pois tem muitos livros interessantes e para todos os gostos literários:

A viúva, de Fiona Barton

Ao longo dos anos, Jean Taylor deixou de contar muitas coisas sobre o terrível crime que o marido era suspeito de ter cometido. Ela estava muito ocupada sendo a esposa perfeita, permanecendo ao lado do homem com quem casara enquanto convivia com os olhares acusadores e as ameaças anônimas.
No entanto, após um acidente cheio de enigmas, o marido está morto, e Jean não precisa mais representar esse papel. Não há mais motivo para ficar calada. As pessoas querem ouvir o que ela tem a dizer, querem saber como era viver com aquele homem. E ela pode contar para eles que havia alguns segredos. Afinal, segredos são a matéria que contamina (ou preserva) todo casamento.
Narrado das perspectivas de Jean Taylor, a viúva, do detetive Bob Sparkes, chefe da investigação, cuja carreira é posta em xeque pelo caso, e da repórter Kate Waters, a mais habilidosa dos jornalistas que estão atrás da verdade, o romance de Fiona Barton é um tributo aos profissionais que nunca deixam uma história, ou um caso, escapar, mesmo que ela já esteja encerrada.

A verdade é teimosa, de Míriam Leitão

Não há governo que pare de pé quando o governante provoca uma grave crise econômica. Nos últimos dois anos, o Brasil passou por uma recessão severa, com um rombo inédito nas contas públicas. Depois de mais de vinte anos, a inflação voltou a visitar o patamar de dois dígitos. Em agosto de 2016, quando o Congresso afastou definitivamente a presidente Dilma Rousseff, o desemprego abatia mais de 12 milhões de brasileiros. Para a jornalista Míriam Leitão, a crise estava anunciada havia muito tempo, pois o governo fechou os ouvidos a todos os alertas e a todas as críticas, enquanto fazia escolhas desastrosas.
O colunismo diário obriga o jornalista ao esforço de tentar ver além dos acontecimentos imediatos. Em A verdade é teimosa, encontram-se 118 textos produzidos desde 2010, quando falar em crise econômica parecia um verdadeiro atrevimento, até novembro de 2016, quando o governo Temer atravessava momentos de grande instabilidade política. Em linguagem clara, Míriam examina os antecedentes que levaram à recessão, à desordem fiscal e à inflação, bem como aos momentos mais agudos da crise em si. O passar do tempo demonstra que não adianta brigar com os fatos, porque a verdade é teimosa e aparece mesmo depois de ser encoberta por malabarismos estatísticos ou retóricos. O texto de Míriam joga luz sobre o passado recente do país, sem perder a esperança no futuro.

Matéria Escura, de Blake Crouch

Essas são as últimas palavras que Jason Dessen ouve antes de acordar num laboratório, preso a uma maca. Raptado por um homem mascarado, Jason é levado para uma usina abandonada e deixado inconsciente. Quando acorda, um estranho sorri para ele, dizendo: "Bem-vindo de volta, amigo."
Neste novo mundo, Jason leva outra vida. Sua esposa não é sua esposa, seu filho nunca nasceu e, em vez de professor numa universidade mediana, ele é um gênio da física quântica que conseguiu um feito inimaginável. Algo impossível. Será que é este seu mundo, e o outro é apenas um sonho? E, se esta não for a vida que ele sempre levou, como voltar para sua família e tudo que ele conhece por realidade?
Com ritmo veloz e muita ação, Matéria escura nos leva a um universo muito maior do que imaginamos, ao mesmo tempo em que comove ao colocar em primeiro plano o amor pela família. Marcante e intimista, seus múltiplos cenários compõem uma história que aborda questões profundamente humanas, como identidade, o peso das escolhas e até onde vamos para recuperar a vida com que sonhamos.

Eu e você no fim do Mundo, de Siobhan Vivian

Enquanto alguns se preocupam com o presente, fazem planos para o futuro, passam os dias empacotando suas coisas para mudar de cidade, Keeley e seus colegas do ensino médio decidem aproveitar ao máximo o tempo que ainda têm juntos em Aberdeen. Para ela, o momento é perfeito para fazer seu sonho se tornar realidade: se declarar para o garoto que sempre amou, Jesse Ford.
A vida de Keeley está prestes a virar de cabeça para baixo, e a sensação de que não há nada a perder é perfeita para dar a ela a coragem de fazer o que normalmente não faria. Ou falar o que não falaria. E o risco quase sempre vale a recompensa. Quase sempre.
Pode ser que seja o fim de Aberdeen, mas certamente é o começo da história de Keeley. Talvez nada tome o rumo esperado. Ou quem sabe tudo se encaixe para sempre. Seja como for, há coisas que só sobrevivem na memória - seja uma cidade ou um primeiro amor.



Paris para um e outros contos, de Jojo Moyes

Nessa vibrante coletânea, o leitor poderá conhecer mais um lado da autora. Em histórias curtas e divertidas, Jojo, sem deixar de lado as personagens decididas que conquistaram o público, faz sua conhecida mágica de transformar situações comuns em eventos extraordinários.
No conto que dá título ao livro, a jovem Nell planeja um final de semana romântico em Paris com o namorado e fica sabendo, já na estação, que ele desistiu de acompanhá-la. Sozinha em um país estrangeiro, Nell descobre uma nova versão de si mesma, independente e corajosa.
Outros contos incluem um assalto a uma joalheria com uma reviravolta amorosa, a história de uma mulher que passa um dia inteiro com os sapatos de outra pessoa e um shopping lotado de pessoas fazendo compras de Natal que vai revelar a uma esposa estressada o que de fato importa na vida.
E em "Lua de mel em Paris", que fecha a coletânea, Jojo Moyes brinda os leitores com um reencontro com as personagens do best-seller A garota que você deixou para trás, Liv e Sophie, que, separadas por algumas décadas, acreditam que o casamento é apenas o início de suas histórias de amor.
Dez pequenas amostras da saborosa escrita de Jojo Moyes, divertidas, autênticas e irresistíveis - você vai ler e se encantar.

E tem ainda Às urnas, cidadãos! e Pequenas Grandes Mentiras com capa da série.

E aí, quais vocês gostariam de ler?

Leia Mais
11 comentários
Compartilhe:

A Química - Stephenie Meyer

Sinopse: Ela trabalhava para o governo americano, mas poucas pessoas sabiam disso. Especialista em seu campo de atuação, era um dos segredos mais bem guardados de uma agência tão clandestina que nem sequer tinha nome. E quando perceberam que ela poderia ser um problema, passam a persegui-la. A única pessoa em quem ela confiava foi assassinada. Ela sabe demais, e eles a querem morta. Agora ela raramente fica em um mesmo lugar ou usa o mesmo nome por muito tempo.
Até que um antigo mentor lhe oferece uma saída — uma oportunidade de deixar de ser o alvo da vez. Será preciso aceitar um último trabalho, e a única informação que ela recebe a esse respeito só torna sua situação ainda mais perigosa. Ela decide enfrentar a ameaça e se prepara para a pior batalha de sua vida, mas uma paixão inesperada parece diminuir ainda mais suas chances de sobreviver. Enquanto vê suas escolhas se evaporarem rapidamente, ela vai usar seus talentos como nunca imaginou.
Uma trama repleta de tensão, na qual Meyer cria uma heroína poderosa e fascinante, com habilidades diferentes de todas as outras, e prova mais uma vez por que seus livros estão entre os mais vendidos do mundo. (Skoob)

Livro recebido em parceria com a Editora
MEYER, Stephenie. A Química. Editora Intrínseca, 2016. 496 p.


Esqueçam vampiros, esqueçam alienígenas, esqueçam qualquer coisa que já leram de Stephenie Meyer. Dispam-se de todas as ideias pré-concebidas e não esperem fantasia, pois A Química é diferente de tudo que qualquer um esperaria e é exatamente por isso que eu gostei tanto desse livro. É provável que até mesmo aqueles que não curtiram as obras anteriores da autora encontrem nesse livro algo que vão gostar, pois os aspectos da obra que fazem lembrar suas outras obras se resumem à escrita envolvente e à criatividade sem fim, todo o resto é novidade. Há uma faceta nova da escritora por aqui e, sinceramente, eu adorei.

Primeiro, porque é um livro adulto. Li todos os livros de Stephenie logo que foram lançados, e eu gostei muito de cada um deles, mas tenho a impressão de que não curtiria um drama adolescente na atual fase da minha vida. Visualizar a Dra. Juliana/Alex como uma adulta realista e absurdamente prática foi um alívio inicialmente e, mais tarde, afeiçoei-me à personagem por sua inteligência aguçada e seu raciocínio rápido - isso rendeu algumas passagens bem engraçadas.

Além disso, a protagonista é o símbolo de força e da inteligência e o total oposto da donzela em perigo. Sim, ela está em perigo, mas está longe de ser uma coitadinha indefesa. Alex é independente, é autoconfiante e sabe que depende apenas de si mesma e de mais ninguém. Ela sabe se defender usando as armas que tem - Kevin que o diga - e o seu pragmatismo me inspirou, de verdade. Se existe alguém indefeso nessa história, é Daniel, mas vou falar sobre ele mais à frente.

É fácil mergulhar na escrita de Stephenie Meyer e viver o contexto criado por ela. Cada vez que eu sentava para ler, devorava cem páginas ou mais sem nem perceber. O enredo contribui para isso, visto que é cheio de mistério, ação e segredos que deixam qualquer leitor ansioso. Não faltam brigas, lutas, trocas de tiro, fugas, espionagem... O clima de tensão é sempre presente e a dinâmica da história é arrebatadora.

Kevin foi meu personagem favorito a se relacionar com Alex. O "psicopata" é esperto, é autêntico e, embora tenha cometido algumas grosserias (relativamente justificáveis), forma uma bela dupla com a protagonista. É como se os dois se completassem: ele, com a força e a experiência em campo; ela, com sinapses ágeis e a dose exata de venenos - literalmente. As discussões entre os dois são extremamente engraçadas e eu percebi que uma amizade surgia ali antes deles mesmos. Era bem óbvio que "Espirra" e "mulher-veneno" eram apenas apelidos carinhosos.

"- Quando você estiver misturando seus veneninhos, pode produzir algo que doa desta vez? Que doa muito?
Alex sorriu, apesar do temor.
- Isso eu posso fazer.
Ele espremeu os lábios por um instante.
- Que estranho, Espirra. Eu... bem, eu quase estou gostando de você agora.
- Isso vai passar.
- Você tem razão... já está passando. [...]"

Há também os cachorros. Acho que, na verdade, caí de amores por A Química assim que eles apareceram. Eles transformaram uma história cheia de tensão em algo fofo, mesmo que eu os imaginasse do tamanho de ursos, segundo a descrição no livro. Mas eles eram treinados, espertos e, em algumas passagens, tornaram-se os heróis da trama. Além disso, eram carinhosos como todo amigo canino. Não tem como não amar.

A única coisa que eu não gostei tanto assim foi do romance na trama. Não que eu não tenha gostado exatamente, mas no meio de tanta coisa intensa, ele só estava lá, era quase indiferente. Acho que isso se deve, em parte, pela minha descrença em Daniel. Ele provavelmente é a figura masculina perfeita: bom homem, romântico, bom cozinheiro, tudo o que qualquer mulher esperaria de um parceiro. Mas ele destoava da história, já que tudo era emocionante demais e ele era... comum(?). Não sei se é uma palavra adequada para expressar o que quero dizer, mas foi a melhor que eu encontrei. E mais: que homem se apaixona por sua algoz, sem em nenhum momento ficar com pelo menos um resquício de raiva? A autora até criou uma explicação para isso, mas não foi o suficiente para mim. Para completar, ele foi bem tapado diante de tudo o que estavam enfrentando e só conseguiu me deixar irritada. Por isso, decidi deixar essa parte para lá e curti todo o resto.

"- Não sei como ver o mundo desse jeito - confessou ele. - Isso tudo soa paranoico.
- Sim! Paranoia é exatamente o nosso objetivo. Paranoia é bom."

Para quem já leu e gostou dos livros de Stephenie Meyer, provavelmente vai adorar A Química.  É instigante, intenso e divertido também. Aposto até que quem não gostou dos livros anteriores terá uma ótima surpresa se der uma chance a esse livro.


Leia Mais
13 comentários
Compartilhe:

Promoção: Seis anos - Obsession Valley


O Obsession Valley completou seis anos e para comemorar a data, o blog está organizando sua segunda promoção, com outros blogs amigos que de alguma forma fazem parte dessa jornada. São NOVE blogs que cederam lindos prêmios para presentear os leitores do Obsession Valley.


REGRAS:
- O participante deverá residir ou ter endereço de entrega no Brasil;
- Período de inscrição: 12 de fevereiro de 2017 até 12 de março de 2017;
- Resultado será liberado em até sete dias, depois de conferir se os ganhadores cumpriram as regras;
- Os ganhadores terão o prazo de 48 horas para responder o blog, após o contato. [via e-mail] Caso não haja retorno, um novo sorteio, para o colocado, será feito;
- Cada blog tem o prazo de 60 dias úteis para enviar os prêmios cedidos, após o recebimento dos dados dos ganhadores;
- Os livros chegarão separados, pois, o envio será de responsabilidade dos blogs que os cederam;
- Os blogs participantes não se responsabilizam por problemas usuais dos Correios, como extravios, danos ou atraso na entrega ou por erros do ganhador, como endereço errado. Os livros serão enviados apenas uma vez;
- O blog Obsession Valley pede aos ganhadores que enviem uma foto dos prêmios, para ser compartilhada nas redes.
* Onde está escrito 'Visit on Facebook:' O participante deverá curtir a página solicitada.


Kit 1: +*O blog Meu Outro Lado também enviará marcadores
Blogs: Meu Outro Lado | Conjunto da Obra | Only The Strong Survive
Prêmios: Passarinho | Meu Amor, Meu Bem, Meu Querido | Sonhei Que Amava Você



Blogs: Caverna Literária | Canal Carissa Vieira | Leituras & Fofuras
Prêmios: Simplesmente Irresistível | A Garota do Calendário: Abril | Um Livro da Série A Garota do Calendário à Sua Escolha 



Blogs: My Dear Library | Obsession Valley | Prefácio
Prêmios: Eu Fico Loko 3 | Floresta Encantada | Vale Presente Saraiva no Valor de R$30



Blogs: Devaneios DeslocadosObsession Valley
Prêmios: O Orfanato da Srta. Peregrine...(edição LeYa) | Liberta-Me (Capa Antiga) e Vinte Marcadores


Leia Mais
22 comentários
Compartilhe:

O medo mais profundo - Harlan Coben

Sinopse: Na época da faculdade, Myron Bolitar teve seu primeiro relacionamento sério, que terminou de forma dolorosa quando a namorada o trocou por seu maior adversário no basquete. Por isso, a última pessoa no mundo que Myron deseja rever é Emily Downing. Assim, ele tem uma grande surpresa quando, anos depois, ela aparece suplicando ajuda. Seu filho de 13 anos, Jeremy, está morrendo e precisa de um transplante de medula óssea – de um doador que sumiu sem deixar vestígios. E a revelação seguinte é ainda mais impactante: Myron é o pai do garoto. Aturdido com a notícia, Myron dá início a uma busca pelo doador. Encontrá-lo, contudo, significa desvendar um mistério sombrio que envolve uma família inescrupulosa, uma série de sequestros e um jornalista em desgraça.Nesse jogo de verdades dolorosas, Myron terá que descobrir uma forma de não perder o filho com quem sequer teve a chance de conviver. (Skoob)
COBEN, Harlan. O medo mais profundo. Editora Arqueiro, 2016. 272 p.


O medo mais profundo não é o primeiro livro do Harlan Coben que leio, mas é o primeiro do personagem Myron Bolitar, um ex-jogador de basquete, que possui uma empresa de representação de atletas de luta livre e que realiza investigações para encontrar pessoas desaparecidas de vez em quando.


Este é o sétimo livro do personagem, mas, mesmo assim, não me senti perdido em nenhuma situação. Eventualmente, acontecem algumas menções a outras histórias, mas nada que atrapalhe a leitura ou a compreensão. E os personagens secundários, que entram e saem em alguns capítulos, são apresentados com os detalhes suficientes.

A história começa com Myron descobrindo que sua mãe escondeu dele que seu pai teve um infarto e que está encarando a vida de forma diferente. Por isso, eles irão vender a casa da família, onde vivem há 35 anos.

Nesse interim, Emily, uma antiga paixão de Myron, que o traiu às vésperas do casamento, aparece com a notícia de que ele tem um filho com ela, Jeremy, de 13 anos, que o menino está doente, morrendo, e que precisa de um transplante de medula de um doador que já foi identificado. Mas esse doador desapareceu misteriosamente.


Por conta disso, Emily pede que Myron esqueça as mágoas, inclusive o fato dela ter escondido que ele tinha um filho, e encontre o doador antes que seja tarde demais. Então, Myron começa uma corrida contra o tempo para conseguir salvar o filho.

A escrita de Harlan Coben, para quem não conhece, é extremamente direta. Isso não quer dizer que ela não seja descritiva. Até é. Inclusive, em alguns pontos, ele comete alguns pecados, como diálogos que não acrescentam nada à trama, e nem sequer ao relacionamento dos próprios personagens, como piadas e conversas sobre esporte ou a profissão de alguns de seus clientes. Isso acaba causando uma quebra sequencial de ação e quase, quase, se torna chato. Mas não chega a tanto.

O que quero dizer com escrita direta, é que ele não tem o hábito de carregar na emoção, mas, sim, no suspense, na curiosidade do leitor em descobrir o mistério da história. Isso é suficiente, e muito, para tornar seus livros bons. O leitor acostumado com o autor, sabe que são histórias para entreter, como aqueles bons filmes policiais de ação.


O medo mais profundo não decepciona no seu final. A conclusão surpreende na medida certa e traz uma novo rumo à vida do personagem. Acho que essa diversidade é o que permite que o personagem tenha tantas aventuras.

Leia Mais
13 comentários
Compartilhe: