Véu do Tempo - Claire R. McDougall

Sinopse: A medicação para a epilepsia mantém Maggie num estado permanente de torpor, mas não consegue aliviar sua dor por ter perdido a filha em decorrência da mesma doença. Com o fim do seu casamento e o filho mais velho num colégio interno, Maggie se muda para uma casa de campo nas ruínas de Dunadd, o local histórico que um dia foi a sede da realeza da Escócia. Tudo muda em sua vida após uma convulsão, e Maggie desperta num vilarejo dentro dos muros de Dunadd do século VIII. Mesmo sem saber se isso realidade ou apenas uma alucinação causada pela doença, ela é atraída pela presença de Fergus, irmão do rei e pai de Illa, uma menina que tem uma semelhança impressionante com a sua falecida filha. Mas, com as demandas do presente chamando-a de volta, conseguirá Maggie deixar para trás o príncipe escocês que já a chama de meu amor? (Skoob)

Livro recebido em parceria com a Editora.
MCDOUGALL, Claire R. Véu do Tempo. Editora Jangada, 2017. 368 p.


Recebi Véu do Tempo, de Claire R. McDougall, no kit de boas vindas como parceira do Grupo Editorial Pensamento. Apesar de sua capa bonita e proposta bastante instigante, fiquei receosa de iniciar a leitura pelo simples fato de que eu não a tinha escolhido, fui escolhida para ela. Nada mais do que reações inconscientes que, no fim, não tinham relevância alguma, em especial por se tratar de um livro bastante agradável e historicamente rico.

Pensar na Escócia e em viagens no tempo me levou automaticamente a associar o livro com a série Outlander, uma de minhas favoritas atualmente. Véu do tempo tem também esses elementos como pontos principais da trama, mas as semelhanças com aquela história param por aí. No livro de Claire R. McDougall, Maggie sofre com a epilepsia, que a induz ao sono profundo e a sonhos com a Escócia do século VIII. Trata-se de uma época bastante antiga sobre a qual pouco se tem registro, quase nada se sabe sobre a cultura ou as pessoas, com exceção de algumas poucas figuras gravas em pedras.

Ainda que visite esse período apenas em seus sonhos, Maggie lembra de cada detalhe como se realmente tivesse vivido aquilo. Emocionalmente ferida após a morte de sua filha, é lá que ela encontra consolo e um novo amor, também ferido pela perda: Fergus. No entanto, a cirurgia que deve acabar com os ataques epilépticos se aproxima, e Maggie precisa enfrentar a difícil escolha de estar presente para seu filho ainda vivo e acabar com suas viagens no tempo, ou continuar a viver esse novo amor no passado.

"Continuo insistindo para mim mesma que tudo isso é apenas um sonho, mas fica cada vez mais difícil acreditar. Com certeza eu gostaria que fosse mais do que um sonho. Eu gosto da Dunadd da Idade das Trevas Gosto que Sula viva acima de todos e tenha ascendência sobre eles com suas ervas e pedras. Eu gosto que o irmão do rei a escute. Gosto do irmão do rei e ponto final."

Gostei bastante da história contada no livro, em especial pela trama fictícia se misturar à realidade. Dunadd e as gravações nas pedras são verdadeiras e alguns detalhes do enredo também parecem ser, como o fato de que o mar possivelmente chegava até o forte. Gosto das tramas do passado que realmente poderiam ter acontecido, e ainda mais quando o autor faz um esforço para torná-la o mais crível possível.

Os personagens criados por McDougall também são interessantes e complexos. A autora imprimiu neles os mais diversos sentimentos, como a solidão, o arrependimento e a insegurança quanto ao que ainda está por vir, de forma a construir a completude de suas personalidades.

"Eu vim para cá porque estou com medo de seguir em frente, e o tempo passa mais devagar aqui. Às vezes, em Dunadd, o tempo sequer parece existir."

Por outro lado, a narrativa bastante objetiva dificulta criar um vínculo emocional com esses personagens. Isso porque, em alguns momentos, a rapidez com que os acontecimentos eram narrados não me permitiram sentir o que o personagem também sentia. Em alguns casos, me questionei se o que estava escrito eram fatos ou apenas pensamentos, e precisava ler de novo para ter certeza se tinha mesmo acontecido ou se algum personagem havia apenas imaginado. Não que isso influencie negativamente a obra, mas algumas passagens que poderiam ter despertado reações mais emocionais durante a leitura foram simplesmente indiferentes.

Fora esse ponto, não há o que negativar no livro. A narrativa intercala pontos de vista em primeira pessoa, de Maggie, e em terceira pessoa, geralmente de Fergus, o que nos permite uma visão mais completa de todos os personagens. Em especial, gostei de Graeme, filho de Maggie. que se mostrou um garoto compreensivo e companheiro, apesar da idade.

"Eu suspiro. Ele tem razão. Parece que desperdiçamos a maior parte da vida tentando não morrer. Mas, no fim, a morte acontece de um jeito ou de outro. O tempo é uma medida tão inútil para quantificar qualquer coisa... O máximo que você pode dizer é que nascemos e que morremos. O que vem no meio é uma pequena pausa. Na grande expansão do universo, a pausa nada mais é do que algumas respirações. Tentamos fazer com que isso signifique alguma coisa, acrescentando-lhe anos, mas os anos não a tornam maior. Estamos aqui, partimos. Outra coisa qualquer toma o nosso lugar."

Véu do tempo trata ainda de escolhas difíceis e sobre a possibilidade de superar as dores e dificuldades, sem esquecer daqueles que se foram e daqueles que amamos. A mensagem que o livro traz é linda e tocante e, para quem gosta de livros que tratem de viagem no tempo, amor e superação, tenho certeza que esta é uma ótima opção.

Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

14 comentários:

  1. Oi, Ju!
    Esse livro parece ter uma carga emocional bem pesada, hein... Apesar do ponto negativo, ele me interessou e já anotei a dica.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Olá!!!
    A historia de misturar realidade com fantasia eu me identifico bastante, e mesmo a protagonista sofra tanto eu ainda gostaria de conhecer, e mesmo ainda não ter lido Outlander eu sei um pouco sobre a historia e realmente há uma semelhança.
    Abraços!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Ju! Tudo bem?
    Gosto muito dessa história de viagem no tempo. Fiquei intrigada com esses sonhos, e deve ser muito diferente o mundo que encontramos na Escócia do século Vlll.
    Vou adicionar o livro na minha lista.
    Beijokas
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  4. Oii Ju!!
    Coisa mais linda esse livro, amei o enredo, eu amo esse gênero, vou adorar conhecer mais dessa escrita.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi Ju
    Não tinha ideia do enredo deste livro e fiquei surpresa agora. Adoro o pano de fundo Escócia e viagem no tempo, a história parece ser bem envolvente, fiquei interessada no livro.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Ju! Nossa a trama desse livro é bem interessante, essa é a primeira resenha que vejo dele e ela me deixou bastante curiosa em conferi essa história.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Ju!
    Romance histórico passado na Escócia e ainda com viagem no tempo, não tem como não desejar a leitura, mesmo com sua ressalva em relação a objetividade das personagens que não permitem uma conexão maior.
    Adorei e quero poder ler.
    “A juventude é a época de se estudar a sabedoria; a velhice é a época de a praticar.” (Jean-Jacques Rousseau)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  8. Adoro quando a narrativa é intercalada, já tinha visto sobre esse livro mas antes não queria ler mas agora quero, já o coloquei na lista, e essa capa esta linda, adoro a editora, eles sempre fazem excelentes trabalhos com os livros.

    ResponderExcluir
  9. Fiquei interessada pois sou daquelas que adora viagens no tempo rs. Que dilema difícil esse da personagem ter que escolher entre o filho e os sonos, não queria estar no lugar dela. Mas fiquei curiosa em como vai desenrolar essa decisão. Pena os acontecimentos serem rápidos e não dar para se envolver afetivamente.

    ResponderExcluir
  10. Ainda não conferi o livro (mas espero mt ganhá-lo) e viajar na vida dos personagens.
    Suspeita em falar sobre superação, acho que irei amar o livro. Parabéns pelo blog! Bjs

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Gostei muito de sua resenha, a historia e bem interessante, ainda mais que no momento estou a procura de romance de época, esse com certeza me encantou...Pena que ela terá que decidir onde realmente tem que ficar, e algo bem difícil essa decisão..!

    ResponderExcluir
  12. Gosto desse mistura de viagem no tempo e mistura de realidade com ficção, apesar do ponto negativo de poder ter trazido mais emoção a história e pela explanação rápida dos acontecimentos, gostaria muito de conferir a obra e conhecer mais sobre o amor e superação descritos na obra.

    ResponderExcluir
  13. Adoro historias de viagem no tempo. A forma como a viagem acontece no livro é bem diferente. Gostei da escolha do autor pela Escócia, amo livros ambientados lá. Fiquei curiosa para conhecer a escolha de Maggie.

    ResponderExcluir
  14. Ultimamente os livros que se passam na Escócia, tem me surpreendido muito por causa do cenário que é muito lindoo. Super gostei de abordar viagem no tempo com a realidade, só fico um pouco preocupada por causa de criar uma confusão pro leitor, mas se você disse que o livro é bom, vou anotar para ler.
    Obg pela dica :)

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.