A Rosa e a Adaga - Renée Ahdieh

Sinopse: A esperada continuação de A Fúria e a Aurora, inspirado no clássico As mil e uma noites Sherazade chegou a acreditar que seu marido, Khalid, o califa de Khorasan, fosse um monstro. Mas por trás de seus segredos, ela descobriu um homem amável, atormentado pela culpa e por uma terrível maldição, que agora pode mantê-los separados para sempre. Refugiada no deserto com sua família e seu antigo amor, Tariq, ela é quase uma prisioneira da lealdade que deve às pessoas que ama. Mas se recusa a ficar inerte e elabora um plano. Enquanto seu pai, Jahandar, continua a mexer com forças mágicas que ele ainda não entende, Sherazade tenta dominar a magia crescente dentro dela. Com a ajuda de um tapete velho e um jovem sábio e tempestuoso, ela concentrará todas as suas forças para quebrar a maldição e voltar a viver com seu verdadeiro amor.
AHDIEH, Renée. A Rosa e a Adaga. Editora Globo Alt, 2017. 366 p.


A Rosa e a Adaga é a continuação e desfecho da duologia A Fúria e a Aurora, que tem como protagonistas o califa de de Khorasan, Khalid e sua esposa Sherazade. Para quem ainda não conhece a história e tem interesse nela, sugiro não ler a resenha porque ela terá vários spoilers do primeiro livro. O volume um terminou de forma a atiçar a curiosidade dos leitores e deixá-los mais que ansiosos pelo segundo — eu mesma faltei arrancar os cabelos! Para mim, A Rosa e a Adaga foi uma conclusão maravilhosa, mesmo com as várias raivas que passei.

Em A Fúria e a Aurora, descobrimos sobre a maldição que assola Khalid e que ela é a única responsável por tantas esposas mortas. Então, assim como Sherazade, é impossível não sentir compaixão pelo menino-rei. Já neste livro, o foco principal dos personagens está em quebrar a maldição lançada no califa, em meio ao caos deixado pelo ataque em Khorasan, que acabou separando os protagonistas. Eu me apeguei por essa história por vários motivos, mas um em especial é o papel que as mulheres exercem em um cenário que é naturalmente machista. Tanto Sherazade como outras personagens femininas têm papéis extremamente importantes na trama e eu amei isso com todas as minhas forças.

Vários dos personagens secundários se tornam extremamente importantes em A Rosa e a Adaga, como, por exemplo, a irmã mais nova da califa. Apesar de ter passado vários nervoso porque Irsa, além de ser muito ingênua, não conseguia guardar um segredo sequer, gostei muito desse destaque — principalmente porque surge um novo romance pra gente ficar torcendo horrores. Tem também Artan, um jovem muito arrogante e poderoso que acaba ajudando Shazi em sua difícil jornada. Não é difícil de imaginar que esse volume possui muito mais cenas de ação que o primeiro, que foi muito mais voltado para o romance entre Shazi e Khalid.

A única coisa que me incomodou um pouquinho foi o início arrastado. Até a página 100 mais ou menos, não acontecia muita coisa importante, mas isso é comum em continuações. Outra coisa que me incomodou foi Tariq, mas só porque ele fazia burrada atrás de burrada — coisa que não tem nada a ver com o decorrer do livro em si. Pra falar a verdade, morri de raiva dele o livro inteirinho, com exceção do final. Ai, além de raiva, fiquei muito triste em vários momentos e em um em especial cheguei a derramar umas lagriminhas, até agora não superei o acontecimento. Também passei boa parte da leitura angustiada para saber se iam conseguir ou não quebrar a maldição. Esses livros que trazem diversos tipos de sentimentos acabam sendo os melhores sempre.

Renée Ahdieh conseguiu manter a qualidade da sua escrita em A Rosa e a Adaga, com cenas muito bem construídas e diálogos de derreter o coração. A autora conseguiu surpreender a cada capítulo, com reviravoltas de deixar qualquer leitor de queixo caído. A Fúria e a Aurora ainda está em primeiro lugar no meu coração, mas o desfecho não deixou de ser maravilhoso. Com toda certeza irei sentir falta dessa atmosfera, mas o final foi tão fechadinho e tão lindo que não precisa de mais. Obviamente foi uma das leituras mais empolgantes do ano até agora.
Ana Clara
Ana Clara

Amante de livros sonha em ter uma biblioteca gigantesca em casa. Lê qualquer coisa que colocarem na frente, desde biografias a rótulos de shampoo. Detesta cachorros e, para ela, os gatos são as criaturas mais fantásticas do mundo. Quando o assunto é música, não cansa de mostrar seu amor pelos Beatles, além de ser fã de fé dos Engenheiros do Hawaii. Também é apaixonada por MPD e louca por O Teatro Mágico do último fio de cabelo até a planta dos pés. Se quiserem saber mais, acompanhem também o blog Roendo Livros.

7 comentários:

  1. Ainda não tive oportunidade de ler o primeiro livro, mas tenho bastante interesse, por parecer uma estória envolvente e cativante, e agora sabendo que a continuação tem a mesma qualidade acredito que irá valer a pena ler esta obra o quanto antes. Uma pena que começo tenha sido arrastado, e a personagem tenha feito muita raiva, por fazer burrada atrás de burrada, ainda bem que teve revira voltas e surpresas que lhe arrancaram lágrimas, e um desfecho bem amarrado.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, ainda não li o primeiro livro dessa duologia, curto muito esse gênero e cada resenha que vejo dos livros me deixa ainda mais curiosa em conferi essa história que parece ser maravilhosa.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Quero muito ler essa duologia pois esta sendo muito bem comentada, li a resenha pois não ligo para spoiler rsrs. Esse volume esta com muitos acontecimentos e deve deixar o leitor com as emoções a mil. Adorei que tem mais ação que deixa a leitura mais ágil e romance para dar uma suspirada e torce, fiquei intrigada em como eles vão quebrar a maldição deve dar um trabalho isso.

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li o primeiro livro e mesmo com o aviso de spoiler no começo do post, pensei em ler a resenha mesmo assim, afinal, achava que esse era um livro que não me interessaria, mas descobri que estava errada e que agora preciso desses livros na minha vida, minha vontade de lê-los já começou quando vi que o primeiro livro termina em uma parte super emocionante, o que nos dá mais vontade ainda de ler a continuação e também fiquei super intrigada para saber o destino de Khalid e Sherazade.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Quero muito ler essa duologia, pois sempre que leio uma resenha, fico super motivada e bem curiosa!
    Fico feliz em saber que a conclusão foi bem construída e com um final bem fechado.
    Espero ler em breve, pois estou bem ansiosa para conhecer os personagens e toda a magia desse enredo.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Ainda não conhecia a duologia, mas fiquei bastante curiosa.
    Acho gostoso passar raiva as vezes, pois mostra o quanto estamos envolvidos com a leitura.
    Já vou colocar nas minhas próximas leituras.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  7. Eu quero muito ler essa duologia, já estou amando os personagens sem ainda nem ter lido o fato de que o modelos vai superar todos os obstáculos me conquistou e essa mocinha se parece o tipo de personagem com o qual me identifico muito aqui aquela pessoa forte e determinada que não desisti fácil enfim não vejo a hora de ler.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.