Um Menino em Um Milhão - Monica Wood

Sinopse: Quinn Porter é um guitarrista de meia-idade que nunca conseguiu deslanchar na carreira. Enquanto aguardava sua grande chance na música, foi um marido e pai ausente, e jamais conseguiu estabelecer um vínculo afetivo com o filho, uma criança obcecada pelo Livro dos Recordes e algumas peculiares coleções. Quando o menino morre inesperadamente, alguém precisa substituí-lo em sua tarefa de escoteiro: as visitas semanais à astuta Ona Vitkus, uma centenária imigrante lituana. Quinn assume então o compromisso do filho durante os sete sábados seguintes e tenta ajudar Ona a obter o recorde de Motorista Habilitada Mais Velha. Através do convívio com a idosa, ele descobre aos poucos o filho que nunca conheceu, um menino generoso, sempre disposto a escutar e transformar a vida da sua inusitada amiga. Juntos, os dois encontrarão na amizade uma nova razão para viver. Um Menino em Um Milhão é um livro sensível, poético e bem-humorado, formado por corações partidos e aparentemente sem cura, mas unidos por um elo de impressionante devoção pessoal. (Skoob)

Livro recebido em parceria com a Editora

Wood, Monica. Um Menino em Um Milhão. Editora Arqueiro, 2017. 352p.


Eu juro que tentei não gostar do Quinn por ter abandonado o filho, mas ao longo do livro foi praticamente impossível não entender o lado de um personagem que pecou, e muito, por ser extremamente sonhador. Quinn sempre foi um pai ausente por achar que não era capaz de compreender o jeito estranho do filho, uma criança com uma inteligência fora do normal desde pequena e com hábitos bastante peculiares. Além disso, sua paixão pela música sempre falou mais alto. Ser um guitarrista de sucesso sempre foi o grande objetivo da vida dele, deixando como segundo plano até mesmo a própria família. Tive que deixar meu julgamento de lado já que ele estava pagando um preço bem alto pelas escolhas que fez no passado.

"Em um dia normal ele teria convidado algum amigo para comer um sanduíche na rua, ou jantado com a família barulhenta de um deles, mas de repente ele se sentiu um homem transparente: não queria que os conhecidos olhassem para ele, e muito menos para dentro dele."

O Menino, como é conhecido durante toda a história, era uma criança de 11 anos tão especial que foi capaz de unir duas pessoas completamente diferentes mesmo após a sua morte. Na verdade, o vínculo que passa a interligar a vida de todos os personagens do livro é justamente o fato de eles não saberem como seguir em frente agora que essa criança não existe mais em suas vidas.

Uma das pendências que o menino deixa para trás é cuidar de sua amiga de 104 anos, Ona Vitkus, todos os sábados. Procurando por uma penitência, Quinn decide terminar o serviço do filho cuidando da velha senhora pelo tempo necessário. O que ele não esperava era encontrar nessa centenária uma melhor amiga e a mulher que iria lhe apresentar todos os sonhos e ambições de seu próprio filho.

Através de um projeto do menino com o intuito de colocar Ona Vitkus no Livro dos Recordes, Quinn e sua ex-esposa acabam encontrando uma maneira de permanecer mais um pouco com a memória do filho reavivada enquanto passam pelo período de luto. E é comovente acompanhar a dor da mãe pela ausência do filho, muitas vezes se apoiando no ex-marido – a pessoa que ela mais deveria odiar na face da terra -, e a dor do pai que sabe que perdeu alguém muito importante, mas não sabe muito bem como reagir a isso.

"Ela vinha se saindo muito bem sozinha. Até que apareceu aquele menino para reacender no peito dela a chama das possibilidades, uma chama desde muito apagada e difícil de acomodar aos 104 anos de idade."

Não tem como não se encantar com a forma pela qual Ona Vitkus começa a história, uma centenária que está contando os dias para partir, e de como a vida dela muda em poucas semanas após conhecer o menino, se tornando uma pessoa que conta os dias para viver cada vez mais tempo até alcançar um objetivo determinado. Sem contar que é algo belo e ao mesmo tempo trágico acompanhar a narração dela sobre a própria história de vida e de como o seu ponto de vista é capaz de mudar sobre o seu passado mesmo após tantos anos terem se passado. Isso porque ela passa a perceber o quanto era ingênua e sonhadora, e de como muitas vezes foi passada para trás e enganada sem nem ao menos se dar conta disso.

Um Menino em Um Milhão é um livro maravilhoso que nos ensina a dar valor as pessoas que mais amamos enquanto ainda há tempo, mesmo que muitas vezes sem compreendê-las por completo.  Um livro que nos ensina que ter um objetivo definido é algo fundamental em nossa vidas.

Dé Lima
Dé Lima

Meu nome é Débora, mas pode me chamar de Dé. Minha vida é cheia de livros, provas para concursos, doramas coreanos, turismo pela minha cidade, rock n´roll, felinos, moda vintage e café amargo. Tenho muitos planos de conhecer os lugares pelos quais já viajei através dos livros, mas o que eu queria mesmo era sair correndo pelo Louvre.

16 comentários:

  1. Vejo que impossível não sentir empatia por este pai, que infelizmente abandonou o filho com a justificativa de não conseguir lidar com sua inteligencia fora do normal, e preferir seguir seu sonho, a permanecer ao lado de quem o amava, e claro que nada disto justifica, mas ao acompanhar esta estória, acredito que nos conversa de que esta atitude não teve intenção de magoar ninguém, e agora após a morte do garoto tenta se redimir terminando seu trabalho de cuida da idosa. Acredito que está seja uma narrativa cativante, e envolvente, no qual tenho muita vontade de ler.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! ^.^
      É isso mesmo...quem tem empatia não consegue simplesmente odiar esse pai cheio de falhas, mas ao mesmo tempo tão cheio de amor. Acho que a autora cobra uma certa maturidade dos leitores que eu achei simplesmente maravilhosa.
      Espero que você faça uma boa leitura!
      Beijos.

      Excluir
  2. Olá!
    Sua resenha está excelente e transmite muito bem a sensibilidade desse enredo.
    Com certeza uma leitura com uma grande carga emocional e muito reflexiva.
    Espero ter a oportunidade de fazer a leitura e me emocionar também, com essa história.
    Obrigada pela dica.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Márcia!
      Fico muito feliz que tenha gostado da resenha. =)
      Espero que você faça uma boa leitura futuramente.
      Depois me conta o que achou do livro que eu vou adorar saber. ^.^
      Beijos!

      Excluir
  3. Olá! Nossa que história super emocionante, essa é a primeira resenha que leio desse livro e agora fiquei mega curiosa em conferi essa história que parece mesmo ser maravilhosa, preciso desse livro pra ontem.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Milena!
      Adiciona na sua listinha de "querências" e já deixa o lencinho separado pra usar durante a leitura. =D
      Beijos.

      Excluir
  4. Primeira resenha que leio sobre este livro, e é impossível não se encantar por essa historia, pois ela é triste e faz querer a gente conferir como será a lição que essas pessoas terão e o desenrolar dessa historia.Acho que irei ler um lencinho, pois já me emocionei só de ler tua resenha. Já esta mais do que incluído a lista de desejados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Michelli!
      Separa o lencinho mesmo. Confesso que me emocionei em várias partes da leitura e tive que fazer aquela pausa pra respirar entre um capítulo e outro.rs
      Beijos e boa leitura!

      Excluir
  5. Eu sou apaixonada por histórias assim, onde crianças ou jovens, acabam mudando a vida de pessoas de mais idade. No cinema então isso funciona muito bem!
    Não conhecia o livro e já quero muito poder conhecer mais sobre os personagens. Sem contar o lance da música que é outra coisa que gosto bastante!
    Espero poder ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ludmila!
      Sabe que eu pensei durante toda a leitura que esse livro daria um ótimo filme?!? Também acho que funcionaria super bem.
      Beijos.

      Excluir
  6. Quero muito ler esse livro, parece ser uma historia muito comovente que mexe com a gente e bonita também, é até estranho o pai conhecer melhor o filho depois que ele se foi e ainda mais por uma pessoa que o pai nem se quer conhecia, mas achei legal e até deixa lições sobre o assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria!
      Sim, além de estranho, é bem triste que esse pai só conheça verdadeiramente o filho após a sua morte. =/
      Obrigada pelo comentário!
      Beijos.

      Excluir
  7. Olá Dé Lima,

    Essa é a primeira resenha que leio desse livro, ele está na minha lista de desejados e agora não tenho dúvidas que é bom, ótima resenha...bjs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Dé!
    Acredito que o mais importante em uma leitura é, o quanto ela nos toca e nos faz quebrar alguns paradigmas.
    É pelo visto o livro traz isso para o leitor ao acompanhar a caminhada do garoto ao lado de uma centenária cheia de experiências e um menino calado, retraído...
    Deve ser uma leitura intensa e cheia de aprendizado.
    Fiquei bem curiosa, viu?
    "...Aceite com sabedoria o fato de que o caminho está cheio de contradições. Há momentos de alegria e desespero, confiança e falta de fé, mas vale a pena seguir adiante..."(Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  9. Desde li uma resenha sobre este livro estou apaixonada.
    Não é meu estilo, mas essa trama me encantou tanto que já me tocou apenas na resenha.
    Parece ser emocionante e como as vezes a morte acaba sendo único modo de fazer as pessoas acordarem para certas coisas na vida.
    Ótima resenha.

    beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Olá, quando eu li a sinopse imaginei que a trama séria aqueles dramas de luto, em tentativa de superar a dor, e apesar da mãe se sentir assim, vejo que ainda e mais um acompanhamento corrido de como as pessoas que estavam em volta daquele garoto lidaram com toda a situação. Adoro livros que a gente pensa que é alguma coisa e no fim é totalmente diferente. Esse com certeza entrou pra minha lista de desejados!
    Beijos.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.