Dois a Dois - Nicholas Sparks

Sinopse: Com uma carreira bem-sucedida, uma linda esposa e uma adorável filha de 6 anos, Russell Green tem uma vida de dar inveja. Ele está tão certo de que essa paz reinará para sempre que não percebe quando a situação começa a sair dos trilhos.
Em questão de meses, Russ perde o emprego e a confiança da esposa, que se afasta dele e se vê obrigada a voltar a trabalhar. Precisando lutar para se adaptar a uma nova realidade, ele se desdobra para cuidar da filhinha, London, e começa a reinventar a vida profissional e afetiva – e a se abrir para antigas e novas emoções.
Lançando-se nesse universo desconhecido, Russ embarca com London numa jornada ao mesmo tempo assustadora e gratificante, que testará suas habilidades e seu equilíbrio emocional além do que ele poderia ter imaginado.
Em Dois a dois, Nicholas Sparks conta a história de um homem que precisa se redescobrir e buscar qualidades que nem desconfiava possuir para lutar pelo que é mais importante na vida: aqueles que amamos. (Skoob)

Livro recebido em parceria com a Editora
Nicholas Sparks. Dois a Dois. Editora: Arqueiro, 2017. 512 p.


"Meu amor por London jamais estivera em questão. O que eu agora compreendia era que também gostava dela, não só como minha filha, mas como a menina que só pouco tempo antes passara a conhecer."

Já fazia alguns meses que não lia nada do autor Nicholas Sparks, então quando surgiu a oportunidade de ler Dois a Dois eu pulei de cabeça, eu esperava um livro emocionante que me tiraria o chão, e ele fez exatamente isso.

Em Dois a Dois conhecemos Russell Green, um homem feliz que apesar das adversidades tinha uma vida boa, uma esposa dedicada e uma filha linda chamada London.

Desde o começo já vamos vivenciando os momentos que marcaram sua vida, como a descoberta de que seria pai, e a surpresa que veio junto com essa notícia, já que ele mesmo não esperava que isso acontecesse tão rapidamente. A partir daqui vamos acompanhando a sua emoção ao perceber que se tornou pai, e a decisão de sua esposa Vivian de sair do trabalho para dedicar-se inteiramente a sua filha.

"Lembro-me de sussurrar que era seu pai, que estaria sempre por perto quando ela precisasse. Então, como se entendesse exatamente o que eu estava falando, ela fez cocô, se contorceu e começou a chorar. No final, acabei devolvendo-a para Vivian."

Tudo ia bem, até sua vida virar de ponta a cabeça, ele perde o emprego e se vê de repente fazendo o papel que antes cabia a sua esposa, enquanto ela ia trabalhar. Mas isso não é tão simples assim; sua esposa que antes se mostrava uma mulher carinhosa e atenciosa, passa a ser ausente e se torna uma mulher totalmente egoísta o que vai de contrapartida a imagem que ele tem dela como esposa e mãe.

Foi difícil para mim não sentir ódio da Vivian, ela ao invés de apoiar o marido a seguir seus sonhos, simplesmente prefere virar as costas e passa a culpá-lo por tudo, ela se mostrou uma pessoa egoísta que só pensa em si mesma, desde o começo percebi que algo estava realmente errado em relação as suas atitudes, e que ela não era a perfeição que ele via.

Russell foi um personagem que me cativou de uma maneira que não consigo nem descrever, ele teve que passar por tanta coisa, mas ainda assim não perdeu a sua essência, foi lindo acompanhar o crescimento de seu relacionamento com a London, a descoberta dele como um pai agora presente, essas foram as partes que com certeza fizeram meu coração bater mais forte.

"Meu casamento com Vivian podia estar um pouco instável no momento, e meu trabalho na estaca zero, mas pelo menos eu estava aprendendo a cozinhar, pensei.
O que não fez com que me sentisse nem um pouco melhor."

Além de se mostrar um pai espetacular ele também se mostrou alguém que não desiste fácil, que apesar das dificuldades sabe que é capaz de superar, seja tendo como alicerce sua filha ou sua família, que foi, é, e sempre será seu porto seguro, em especial sua irmã.

A narrativa é feita em primeira pessoa, pelo Russell, isso tornou minha experiência com o livro ainda mais incrível, já que pude acompanhar sua luta diária, para não se deixar abater e o quanto ele realmente amava sua filha.

Dois a Dois tem uma carga emocional muito grande, eu esperava que tivesse um pouco mais, confesso, já que é costumeiro do Nicholas partir nossos corações, mas ainda assim esse foi um grande livro, eu ri, chorei e sofri junto com os personagens, mas não trocaria um minuto disso por nada. Leitura mais que recomendada.

Leia Mais
4 comentários
Compartilhe:

Seleção de Resenhistas


Peops, a postagem de hoje é só um recadinho. Na sexta-feira passada avisei lá no Facebook que decidi selecionar mais um ou dois resenhistas aqui para o blog, principalmente por conta do aumento de parcerias para 2017.

Para os que têm interesse em participar, peço que preencham o formulário abaixo ou neste link com as informações mais básicas para que eu possa ver quem tem ou não o perfil do blog. Também peço informações sobre outros trabalhos ou textos para que seja possível analisar o estilo de escrita. Algumas outras informações também podem ser relevantes, mas provavelmente conversarei com os candidatos por e-mail antes de tomar uma decisão definitiva.

O trabalho realizado será não remunerado, mas sempre que possível enviarei alguns brindes, mimos e, também quando possível, livros, como forma de agradecer e recompensar aquele que dedicar seu tempo a este espaço.

As inscrições estarão abertas até domingo, 28/05. Os critérios de seleção serão a ortografia e a construção textual, além de alguns critérios subjetivos quanto ao perfil necessário para escrever no blog. Espero encontrar pessoas responsáveis e comprometidas, que façam com carinho o que se propõem a fazer, porque este espaço tem grande importância para mim. 


Leia Mais
11 comentários
Compartilhe:

Coração de Aço - Brandon Sanderson

Sinopse: Tudo começou com Calamidade, que surgiu nos céus como uma estrela de fogo, e que ninguém sabe o que é realmente: seria algo alienígena, ou então um experimento do exército norte-americano? Seus efeitos, entretanto, podem ser sentidos algum tempo após seu surgimento: pessoas comuns passam a ter poderes que desafiam as leis da física e da lógica. Parece que uma nova era está para surgir. E surge: os nomeados Épicos não apenas se tornam poderosos, mas também ganham uma sede insaciável de poder e parecem perder toda sua humanidade no processo, deixando o resto da população à mercê de suas vontades e caprichos. (Skoob)
SANDERSON, Brandon.Coração de Aço. Editora Aleph, 2016. 392p.


Não li a maioria das distopias existentes no mercado, então não sei se alguma delas chega a levantar a questão que mais me chamou a atenção em Coração de Aço. Nova Chicago é dominada por um homem dotado de poderes quase divinos, como imortalidade, capacidade de voar, força, raios de energia, que solta pelas mãos, e a capacidade de transformar qualquer matéria sem vida em aço. Além dele, existem ainda outros épicos (essas pessoas especiais dotadas de poderes), que o ajudam nessa tirania. Mas, apesar de sua ordem ser mantida através de mortes, medo, opressão, ela é melhor do que os outros lugares do mundo, onde a carnificina é maior e sem limites.


Então, a pergunta que o livro faz, é o que seria melhor? Deixar Coração de Aço continuar a governar, ou matá-lo, deixando a cidade à mercê dos outros épicos, que poderiam ser bem piores? O remédio não seria pior que a doença?

O próprio livro dá a resposta a essa pergunta, quase no final, através de uma constatação filosófica feita por David, o personagem principal. E, apenas por essa reflexão, a leitura já vale muito a pena.

Mas tem outras coisas que agradam em Coração de Aço. As lutas entre o grupo de executores, formado por pessoas normais, contra os épicos, é descrita de forma emocionante e, na maioria das vezes, com um desfecho que surpreende. Isso, porque os executores precisam de mais do que armas e coragem, eles precisam pensar, planejar, pesquisar e encontrar qual é o ponto fraco de cada épico, para terem uma chance de vencer.


David é um adolescente de dezoito anos que, por incrível que pareça, representa o que realmente é um garoto nessa idade: convencido, irritante, inconsequente, determinado, cheio de hormônios, que fazem com que, no meio de uma batalha, ele pense na garota gostosa por quem se apaixonou. Ele é tão chato, que fica ótimo!

Megan também representa o que é uma garota na mesma idade de David. Apesar de gostar dele, ela finge que não, mantém aquele olhar superior e não dá o braço a torcer, menos naquelas situações que se esquece de levantar o muro e deixa escapar um sorriso.

Megan e David formam um casal cheio das verdades que encontramos nos adolescentes reais, só que em um mundo onde eles precisam enfrentar seres que matam com um piscar de olhos. A química entre eles funciona, ainda mais para o final da história, quando cada um deles já consegue compreender a motivação do outro. Sem mencionar uma surpresa deixada para as últimas páginas, que leva a relação a um novo patamar de dramaticidade, e que deixa o leitor ansioso para o volume seguinte, onde, pelo título, fica evidente de quem é o foco. Ops, spoiler (que você só vai perceber depois de ler o livro, então sossegue)!


Thia, Cody, Abraham, Prof, enfim, cada um dos personagens secundários tem sua importância e sua função dentro da história. Não estão lá apenas de forma figurativa. O Prof é o que mais tem participação nos eventos, e é o que carrega um volume maior de mistérios. Mais até que Coração de Aço. Ele foi o criador de quase todas as armas que os executores utilizam, inclusive uma luva incrível que consegue vaporizar qualquer material. Mas ninguém sabe como, ou quando, ele fez isso. O único que parece conhecer alguma coisa, é Abraham, mas ele se mantém tão fechado, quanto o próprio Prof.

As partes em que a equipe atua junto, funcionam muito bem, e o autor consegue deixar a narrativa clara o suficiente para o leitor não se perder no meio da ação. David atua sempre ao lado de Megan, apoiados por Abraham e Cody, com suporte à distância por Thia e Prof. As conversas entre eles durante os ataques é gostosa de acompanhar.

Mas da mesma forma que existem muitas coisas boas em CORAÇÃO DE AÇO, também existem algumas que poderiam ser melhores. A diversidade de poderes em um mesmo épico, em alguns casos, fica excessivo. E o ponto fraco deles é expansivo demais, uma vez que pode ser qualquer coisa, o que remove a lógica que poderia existir entre os poderes. Uma das regras de ouro que existe nos quadrinhos, é que cada herói, ou vilão, tem suas fraquezas proporcionais aos seus poderes, ou ao seu passado. Não são fraquezas aleatórias, e isso enfraquece um pouco a credibilidade ficcional em Coração de Aço.


Um outro problema é em relação aos épicos em si. Eles são todos poderosos, mas na hora de agirem, são incompetentes. Demoram demais. Na verdade, nem considero isso um problema, ou defeito, uma vez que a maioria dos filmes de ação, e de super-heróis, sofre do mesmo. É necessário existir um delay nas ações dos vilões, para que os heróis mais fracos possam agir e vencer. Ou seja, é um recurso narrativo recorrente.

Também existe uma certa barriguinha em alguns capítulos. Embora nenhum deles tenha um papel de enrolar, uma vez que todos trazem algum evento, ou informação, que será necessário mais adiante, por vezes as conversas se inclinam para um lado que não avança, como aquele papo jogado fora na porta do colégio que não interessa a ninguém.

Tirando isso, que é bem pouco e não afeta em nada a qualidade da obra, Coração de Aço é empolgante o suficiente para agradar os fãs de quadrinhos, por exemplo, bem como aqueles que gostam de livros de ação, com uma dose de romance adolescente, com mistérios e surpresas. Uma ótima pedida para dias monótonos!

Leia Mais
9 comentários
Compartilhe:

Promoção: Aniversário My Dear Library - via Instagram


Queridos leitores, que tal um domingo com nova promoção?

Hoje é o aniversário do My Dear Library e para comemorar os esses 7 anos de história, o blog chamou alguns amigos para presentear vocês! 

A promoção será feita via Instagram e serão dois sortudos ou duas sortudas que levaram cada, um kit maravilindo!

Prêmios: 
Kit 01: Livros - A Chama Detros de Nós, A Mil Noites, O Casal da Casa ao Lado + 30 marcadores.
Kit 02: Livros - Frozen: Coração Congelado, Maximum Ride: Projeto Anjo, Vire a Página + 30 marcadores. 

Vai ficar fora dessa? Para participar é simples.

• Seguir os igs: @batidasliterarias | @_blogdtup | @conjuntodaobra | @dleitoracompul | @livy.mundodolivro | @moonlightbooks | @mydearlibrary
• Procurar e curtir a foto oficial no ig @mydearlibrary
• Comentar na foto oficial e marcar 3 amigos (não vale marcar perfis fantasmas, desativados, famosos, entre outros) Pode comentar quantas vezes quiser, desde que marque amigos diferentes a cada comentário.
• Perfis bloqueados serão desclassificados. Então se for, lembre se de estar desbloqueado nos dias do sorteio.
IMPORTANTE.
• Começo do sorteio 21.05
• Fim do sorteio 11.06
• Resultado Até 15.06.
INFORMAÇÕES:
• na hora do sorteio será verificado se o ganhador seguiu todas as regras o ganhador terá.
• 48hrs para entrar em contato após sorteio, senão perde direito aos prêmios e um novo sorteio será realizado.
• Os livros e os kits de marcadores serão enviados pelos instagrammers e blogs responsáveis em uma prazo de 45 dias.
• Não nos responsabilizamos por extravios do Correios.

Boa sorte!

Leia Mais
5 comentários
Compartilhe:

A Fúria e a Aurora - Renée Ahdieh

Sinopse: Personagem central da história, a jovem Sherazade se candidata ao posto de noiva de Khalid Ibn Al-Rashid, o rei de Khorasan, de 18 anos de idade, considerado um monstro pelos moradores da cidade por ele governada. Casando-se todos os dias com uma mulher diferente, o califa degola as eleitas a cada amanhecer. Depois de uma fila de garotas assassinadas no castelo, e inúmeras famílias desoladas, Sherazade perde uma de suas melhores amigas, Shiva, uma das vítimas fatais de Khalid. Em nome da forte amizade entre ambas, Sherazade planeja uma vingança para colocar fim às atrocidades do atual reinado. Noite após noite, Sherazade seduz o rei, tecendo histórias que encantam e que garantem sua sobrevivência, embora saiba que cada aurora pode ser a sua última. De maneira inesperada, no entanto, passa a enxergar outras situações e realidades nas quais vive um rei com um coração atormentado. Apaixonada, a heroína da história entra em conflito ao encarar seu próprio arrebatamento como uma traição imperdoável à amiga. Apesar de não ter perdido a coragem de fazer justiça, de tirar a vida de Khalid em honra às mulheres mortas, Sherazade empreende a missão de desvendar os segredos escondidos nos imensos corredores do palácio de mármore e pedra e em cenários mágicos em meio ao deserto.
AHDIEH, Renée. A Fúria e a Aurora. São Paulo: Globo Alt, 2016. 336 p.


Eu não conheço muito bem o clássico As Mil e Uma Noites, mas por alto eu sei que conta a história do rei da Pérsia, que foi traído por sua mulher e mandou matá-la junto com o amante. A partir de então, ele resolveu passar cada noite da sua vida com uma mulher diferente e, para evitar traições, matava a mulher na manhã seguinte. Sherazade foi a única esposa que conseguiu sobreviver devido a sua incrível esperteza. A Fúria e a Aurora é uma releitura maravilhosa das mil e uma noites de Sherazade. 

Aqui, conhecemos a história do jovem califa de Khorasan, Khalid Ibn al-Rashid, um verdadeiro monstro. Todas as noites se casa com uma mulher e no dia seguinte a mesma é encontrada morta. Uma das vítimas era a melhor amiga de Sherazade e, para vingar a morte dela e de todas as outras moças, resolve se voluntariar para o cargo de esposa do califa, a fim de acabar com sua vida. O seu plano principal é se manter viva por mais de uma noite. É claro que ela consegue, usando a mesma tática que a protagonista de As Mil e Uma Noites: conta uma história para Khalid, prometendo que iria continuá-la apenas no dia seguinte.

Ninguém sabe o motivo de Khalid matar todas as suas esposas, mas é claro que todo mundo tem certeza que ele é apenas um monstro sem coração — até eu achei né, que diacho de homem louco. A medida que Sherazade vai conhecendo o marido e o seu passado triste, ela percebe que ele não chega nem perto do homem odioso que todos pensam que ele é.

"— Eu não estou brincando, Rahim. Eu devia ter imaginado que ela faria algo assim.
— Também não estou brincando. — Rahim franziu o cenho. 
— Você não é capaz de prever o futuro. E
 não há nada que possa fazer sobre o passado." (p. 81)

Não considero o fato de Sherazade se apaixonar pelo califa um spoiler, a gente já imagina isso desde o primeiro momento. Mas eu gostei demais da forma com que as coisas acontecem. Todo o ódio que ela sentia por ele vai se transformando em algo cada vez mais forte, tudo misturado com um sentimento de culpa, já que independentemente do motivo, Khalid não deixa de ser um assassino. Mas ai, gente, é impossível não gostar dele apesar de tudo. Os outros personagens também são maravilhosos, principalmente Jalal e Despina — criada com quem Sherazade tem uma relação de ódio mais parecida com amor. Shazi é daquelas mulheres fortes e decididas, bem do jeitinho que eu gosto mesmo.

Eu já sabia que ia gostar muito A Fúria e a Aurora, mas não fazia ideia que eu ia me apaixonar tanto por ele. Eu gostei principalmente do ambiente e da cultura, que são super diferentes e interessantes, além dos personagens, que são todos muito bem construídos. E ai, pelo amor de Deus, a história é tão instigante que foi praticamente impossível parar de ler. Fiquei querendo morrer com o final de tanta curiosidade, e o pior de tudo é que o segundo volume da série, The Rose and the Dagger, só vai ser lançado no início de 2017! Planejando vários ataques histéricos até lá.

Renée Ahdieh é uma escritora incrível, que narra de forma ágil e de uma criatividade sem tamanho. Apesar de ser uma releitura de um clássico, ela claramente conseguiu deixar a história nada convencional, ou de acordo com o New York Times, uma verdadeira joia — que não pôde deixar de entrar para a minha lista de favoritos.

Leia Mais
10 comentários
Compartilhe:

Quem era ela - JP Delaney

Sinopse: É preciso responder a uma série de perguntas, passar por um criterioso processo de seleção e se comprometer a seguir inúmeras regras para morar no nº 1 da Folgate Street, uma casa linda e minimalista, obra-prima da arquitetura em Londres. Mas há um preço a se pagar para viver no lugar perfeito. Mesmo em condições tão peculiares, a casa atrai inúmeros interessados, entre eles Jane, uma mulher que, depois de uma terrível perda, busca um ponto de recomeço.
Jane é incapaz de resistir aos encantos da casa, mas pouco depois de se mudar descobre a morte trágica da inquilina anterior. Há muitos segredos por trás daquelas paredes claras e imaculadas. Com tantas regras a cumprir, tantos fatos estranhos acontecendo ao seu redor e uma sensação constante de estar sendo observada, o que parecia um ambiente tranquilo na verdade se mostra ameaçador.
Enquanto tenta descobrir quem era aquela mulher que habitou o mesmo espaço que o seu, Jane vê sua vida se entrelaçar à da outra garota e sente que precisa se apressar para descobrir a verdade ou corre o risco de ter o mesmo destino. Com um suspense de tirar o fôlego e um clima de tensão do início ao fim, JP Delaney constrói um thriller brilhante repleto de reviravoltas até a última página. Uma história de duplicidade, morte e mentiras. (Skoob)

Livro recebido em parceria com a Editora
DELANEY, JP. Quem era ela. Editora Intrínseca, 2017. 336 p.


Comecei Quem era ela, de JP Delaney, sem muitas expectativas. Vi muitas resenhas positivas sobre o livro, mas também vi algumas afirmando que não era tão bom assim. Comecei a ler. Li cinquenta páginas, era ok. Li mais cinquenta e pensei "está ficando bom". E depois da página cem, só consegui largar o livro depois de terminar. Foi bom ser fisgada pela história dessa forma, quando eu não esperava nada, e ela me ofereceu em troca tantas surpresas que só me restou ficar de queixo caído e absolutamente fascinada por sua genialidade.

Quem era ela narra, sempre em primeira pessoa, a história de duas mulheres. Antes: Emma. Agora: Jane. Não há nenhuma ligação entre as duas, a não ser que ambas passaram por um processo seletivo rigoroso para morarem numa residência perfeitamente desenhada, na Folgate Street, nº 1. Aos poucos Jane descobre que nada é o que parece, que ela e Emma têm em comum mais coisas do que poderia imaginar e, enquanto tenta compreender o que aconteceu com a antiga moradora da casa, não percebe que segue pelo mesmo caminho de Emma.

"Nunca se desculpe por alguém que você ama, diz baixinho. Isso faz você parecer um idiota."

Os capítulos das duas personagens se alternam, em paralelo, e nos permitem ter conhecimento do que acontece com Jane e Emma aos poucos, ainda que uma das histórias, na verdade, se desenrole no passado. Achei curiosa a forma que o autor escreve os capítulos de Emma, sem demarcar os diálogos, o que confunde um pouco no início e dificulta identificar o que são falas e o que são pensamentos. No decorrer da leitura, no entanto, essa peculiaridade deixa de ser notada, tão envolvente que a história passa a ser.

Por conta da construção do texto com histórias em paralelo, é difícil fazer uma imagem do todo, e eu fiquei boquiaberta com a quantidade de vezes que o autor me enganou. Ele nos leva a acreditar em algo, induz a conclusões que não se concretizam, simplesmente porque nada indica o contrário. Então, quando a verdade finalmente é demonstrada, a surpresa é tanta que já não se sabe mais o que esperar da história, até que, de repente, o leitor se vê enganado outra vez.

Isso aconteceu três ou quatro vezes durante o livro e eu simplesmente não conseguia acreditar que tinha sido iludida outra vez. Esse descompasso na trama é frustrante, mas completamente arrebatador. Acho fantástico quando um autor consegue me iludir e, mais à frente, me faz enxergar uma realidade que eu nem sequer tinha imaginado, mas que é totalmente plausível. Isso prova um absoluto domínio do texto, de seus personagens e da história, porque desde o início os indícios estavam lá, só não de forma tão clara. Simplesmente genial.

"Eu me sinto a personagem de um filme. Em meio a tanto bom gosto, de alguma forma a casa me faz andar com mais elegância, me comportar de modo mais ponderado e tentar causar o melhor efeito possível em cada cena de que participo. Não tem ninguém me vendo, é claro, mas Folgate Street, nº 1 quase parece se tornar meu público, preenchendo os espaços vazios com músicas calmas e cinematográficas da lista de reprodução automática da Governanta."

Nada é o que parece na obra. Por mais que algumas atitudes se mostram simples e desinteressadas, cada mínimo movimento tem um motivo por trás. É engraçado porque é perceptível que os personagens são manipuladores e obstinados, mas nem sempre é possível perceber quem está manipulando quem. Todos são complexos e voláteis, e até mesmo Folgate Street, nº 1 é diferente do que se imagina inicialmente. A casa, aliás, torna-se um personagem central da história, pois seu perfil minimalista, somado a toda a sua tecnologia, permitiram que a trama seguisse os rumos que a tornaram tão interessantes.

Escrito em capítulos curtos e sem rodeios, o livro ainda conta com protagonistas femininas imprevisíveis, que parecem fragilizadas por algum tipo de trauma, mas que sabem o que querem e lutam, ainda que silenciosamente, por isso. Quem era ela é um livro arrebatador e surpreendente, perfeito para quem quer uma história cheia de mistérios e reviravoltas.

Leia Mais
12 comentários
Compartilhe:

Promoção: Box Biblioteca de Hogwarts


Os blogs Roendo Livros e o Gettub resolveram sortear, em parceria com vários blogs amigos, o box da Biblioteca de Hogwarts, lançamento incrível da Editora Rocco.

Blogs participantes


Regras
1. O vencedor precisa residir, ou ter endereço de entrega, em território nacional;
2. O período de inscrição será do dia 17/05/2017 ao dia 30/06/2017;
3. O Roendo Livros será responsável pelo envio dos prêmios. O prazo de envio é de até 30 dias úteis, e o Roendo Livros não se responsabiliza por danos, extravios ou retornos das encomendas;
4. O vencedor terá um prazo de 48 horas, após o resultado, para entrar em contato com o Roendo Livros. Caso contrário, o sorteio será refeito;
5. O contato com o vencedor será feito por e-mail, apenas. Então, é muito importante que ele esteja correto ao preencher o formulário;
6. O resultado da promoção será divulgado até uma semana após o seu término;
7. Este sorteio é de caráter recreativo/cultural, conforme item II do artigo 3º da Lei 5.768 de 20/12/71 e dispensa autorização do Ministério da Fazenda e da Justiça, não está vinculada à compra e/ou aquisição de produtos e serviços e a participação é gratuita;
8. Os blogs Roendo Livros e Gettub se reservam o direito de dirimir questões não previstas nestas regras.

As quatro primeiras entradas são obrigatórias e valem um ponto. Todas as outras entradas são opcionais, mas valem três pontos cada. Como bônus, a entrada "tweet about de giveaway" vale cinco pontos, mas só será aceita se o participante estiver seguindo os perfis do Twitter que estão na promoção.

a Rafflecopter giveaway

Boa sorte!

Leia Mais
11 comentários
Compartilhe: